segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Ondas Curtas - edição 60

*  Com a ausência de um narrador que deve ser contratado essa semana, a Rádio Globo de São Paulo escalou de forma emergencial Jesse Nascimento para  trabalhar no jogo entre Palmeiras x Red Bull. Oscar Ulisses (ainda de férias) narrou a final da Copa SP e Doni Vieira o jogo entre Flamengo e São Paulo.

* O novo narrador da Rádio Globo deve ser anunciado essa semana e sua estreia deve ocorrer na primeira rodada do Paulistão.

* Muito boa a opção da direção da Rádio Bandeirantes em contratar a  jornalista Vanessa Ruiz ( ex-Globo e CBN), além de entender de automobilismo, a nova repórter tem um pique diferente dos atuais jornalista  do esporte. Vanessa entra no lugar de Alessandra Alves que ficou alguns meses na apresentação dos programas esportivos, mas segue na cobertura da fórmula um.

* Fábio Azevedo é o novo chefe de reportagem da Bradesco Esportes FM no Rio de Janeiro, Azevedo segue como repórter do Terra TV, ele substituiu no rádio Jorge Eduardo.

* Em São Paulo a novidade na Bradesco Esportes foi a contratação de Evandro Lopes, jornalista experiente que passou por Terra, Uol e RIT TV, Evandro  comanda ao lado de Bete Romero o programa De Primeira Rio SP. 

* Após 10 anos trabalhando 105 FM, o narrador Marcelo do Ó, deixou a emissora na semana passada. Marcelo segue   firme e forte na Rede TV e no canal Sport Plus da Sky.

* Leandro Bollis, Ricardo Melo e Reinaldo Moreira seguem como narradores na 105 FM. A emissora que é líder no rádio esportivo de São Paulo não deve contratar por enquanto outro narrador.

* Só pra lembrar que os bons narradores Silva Júnior (ex-Globo) e Rogério Assis (ex -Jovem Pan) seguem disponíveis no mercado.

* Fausto  Favara, novo narrador da Jovem Pan, começou o ano muito bem na nova casa. Suas narrações estão deixando os ouvintes satisfeitos, mas muitos que não o conheciam  não sabem diferenciar se  é ele ou Nilson César. Fausto é filho do titular de esportes da Pan.

* O rádio esportivo de São Paulo, mais uma vez deu um ótimo exemplo. O Red Bull Brasil, não foi chamado de RBBrasil durante o amistoso contra o Palmeiras, bem ao contrário da TV que segue omitindo o nome de empresas que investem no futebol, mas não paga ou investe no canal. Lamentável.

* A pesquisa realizada pela ABERT, aponta que somente 14% dos entrevistados otam em ouvir rádio  em AM, enquanto  a preferência pela FM é de  74%  para os brasileiros. Números que  aumentam a preocupação d os proprietários do am. Enquanto isso a migração nos grandes centros segue a passo de tartaruga.

A força do rádio via celular

Pesquisa realizada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) mostra que o rádio continua sendo o segundo meio de comunicação mais utilizado pelos brasileiros, perdendo apenas para a televisão, que a maioria dos entrevistados disse assistir. De acordo com a Pesquisa Brasileira de Mídia 2015 (PBM 2015), o uso do rádio tradicional caiu na comparação com a PBM 2014, de 61% para 55%. Em compensação, aumentou a quantidade de entrevistados que dizem ouvir rádio todos os dias, de 21% em 2014 para 30% em 2015. De cada 100 pessoas entrevistadas, 80 disseram ainda ouvir rádio pelo aparelho tradicional (80%). Cada vez mais, o telefone celular assume papel preponderante como meio para ouvir o rádio. 8% dos entrevistados disseram ouvir rádio no celular, mesmo percentual de quem ouve rádio no carro. 4% são os que ouvem rádio em outros receptores, como, por exemplo, no computador. A pesquisa confirma iniciativa da Abert que, no fim do ano passado, lançou a campanha “Smart é ter rádio de graça no celular”. A campanha estimula a compra de aparelhos móveis com recepção de sinal FM, uma maneira de garantir informação e entretenimento gratuitamente, sem depender de pacote de internet. A campanha também chama a atenção dos radiodifusores para a importância de fazer propaganda gratuita e espontânea dos aparelhos que têm rádio FM integrado, como forma de valorização do meio. Três spots de rádio, peças publicitárias para internet, mídia impressa e folder eletrônico compõem a campanha. A pesquisa destaca ainda que os principais motivos para as pessoas ouvirem rádio são a busca por informação (63%), diversão e entretenimento (62%) e como forma de passar ou aproveitar o tempo livre (30%). As FMs são as emissoras de rádio preferidas para 74% dos brasileiros, enquanto 14% declararam gostar mais das AMs. Entre os entrevistados, 16% disseram ouvir rádio exclusivamente. 34% escutam rádio enquanto realizam alguma atividade doméstica e 33% enquanto se alimentam. A PBM 2015 ouviu mais de 18 mil pessoas em entrevistas domiciliares.
Fonte: Abert