Ondas Curtas 111

O jovem e talentoso  jornalista Felipe Garraffa, de apenas 22 anos, estará ao lado do experiente Agostinho Teixeira na equipe do novo programa da TV  Band   'Agora É Com Datena',  que vai ao ar aos domingos  e tem estreia marcada  para o dia 15 de abril. Ambos seguem no programa de rádio com Datena durante a semana, mas "Garrafinha" como é carinhosamente chamado deixou o departamento de esportes da emissora.


Depois de superar problemas particulares, o jornalista José Calil, voltou com tudo aos trabalhos na Rádio Transmérica de São Paulo.  Comentarista conhecido por muitos como polêmico, José Cali  também apresenta programas e jornadas esportivas com a competência de quem tem décadas de experiência. 


A Transmérica disputa com outras emissoras em FM o título de "Maior rede de rádio do Brasil", a emissora  promete ter a maior equipe de rádio em solo russo para a cobertura da Copa do Mundo.   Título que deve conquistar mais uma vez, enquanto outros  grandes grupos de comunicação  batalham pra ter pelo menos uma equipe na copa e olhe lá.


Outra saída, principalmente das rádios  e a de contratar jornalistas que  morem na Europa para prestarem serviço e assim diminuírem os custos.

O jornalista Paulo Massini, ex- Globo e CBN  segue  com seus comentários em seu canal na internet, para conhecer o Podcast é só clicar aqui





O jornalista Francisco Prado trocou a Rádio Bandeirantes pela CBN.

Com muitas mudanças (demissões) nos últimos anos, várias emissoras de rádio está encontrando dificuldades em escalar dois repórteres para jogos de competições importantes.  Com tanto jogo, praticamente todos os dias, a carga horário de muitos profissionais é exaustiva, além de cobrir treinos cobrem jogos e alguns  viajam no mesmo dia do jogo. Uma insanidade que afeta claramente a qualidade da jornada esportiva. Escalar três repórteres então é algo hoje quase que impossível pra não dizer raro nas emissoras de rádio do Brasil.


Não são só os jogadores e treinadores que reclamam do calendário de jogos, muitos narradores  de tv e principalmente do rádio estão  em um ritmo  acelerado de trabalho. Alguns narrando quase que todos os dias, tanto na tv fechada quanto no rádio. Alerta para algumas equipe que possuem apenas dois narradores oficiais.

Roberto Canazio é um excelente comunicador, acredito que seja o último remanescente de microfone da "velha" Rádio Globo.  Deixá-lo somente aos domingos é um desperdício diante de tantos comunicadores com pouca experiência durante a semana. 

O narrador Ricardo Mello da 105 FM, apesar de jovem (45 anos) já rodou bastante dentro e fora do rádio. Caminhoneiro que amava ouvir o  rádio ao volante, virou narrador e até hoje divide as duas profissões: narra  e dirige.  Melo começou na rádio Cultura de Alfenas (MG), depois foi para a Rádio Cacique de  Santos,  passou pela  ABC,  Tupi de SP,  foi narrador da Rádio Globo ao lado de Oscar Ulisses e Osvaldo Maciel, teve duas  passagens pela rádio Capital,  e na 105 FM, também com duas passagens está   chegando aos sete anos de casa. Sua narração agrada todos os ouvintes e principalmente os torcedores dos grandes clubes de São Paulo.  Melo acertou também o seu retorno para a Rádio ABC, que vai transmitir jogos do Campeonato Brasileiro, detalhes abaixo.


Radio ABC de Santo André, am 1570 Khz acertou essa semana para fazer o Campeonato Brasileiro desse ano. A equipe terá o comando de Ismael Alves, os narradores serão Gomão Ribeiro e Ricardo Melo (segue na 105 FM), o comentarista será Jurandir Martins e o repórter Airton Marques. Novos profissionais também fazem parte do projeto.

Ex- Jovem Pan e Rádio Capital, o jornalista Marcelo Lima é  novo  o responsável  pela assessoria de Imprensa do  programa "Estádio 97" da Rádio Energia 97 de São Paulo. O trabalho de Lima agora é o de ajudar na divulgação e de levar um grande personagem uma vez por semana ao  estúdio da emissora.  O Estádio 97, tem quase 20 anos de existência, é pioneiro  em mesclar humor e futebol  e  segue como uma das  maiores audiências do segmento. Recentemente participaram  do programa: Paulo Jamelli, Rogério (ex-lateral Palmeiras/Corinthians) ,  André Luiz  (ex-lateral São Paulo e Corinthians). Sem dúvida uma ótima iniciativa que partiu do diretor  Sombra, que também participa do programa que vai ao ar de segunda a sexta-feira das 17:30 às 20 horas.


A rádio Super Notícia 91,7 FM começou um processo de readequação e novas atrações em sua programação. Uma das novidades, que estreou na última segunda-feira dia 02 de abril, o humorístico "Barba, Cabelo e Bigode", que vai ao ar de segunda a sábado, de 11h ao meio-dia, e mescla futebol e bom humor.


Das 12 candidatas que começaram o reality "A Narradora" do canal Esporte Interativo, 7 seguem na competição. Detalhe é que entre os quatro jurados, dois são jornalistas, uma é ex-jogadora de vôlei  e um diretor do canal. Portanto não tem nenhum narrador entre os jurados e a regra que inicialmente era de classificar 6 candidatas foi mudada na hora e ao vivo, deixando mais uma vaga para a sequencia do reality. A vencedora sairá do dia 24 de abril.


Já as candidatas do programa "Narradoras" do canal Fox Sports se revezaram na  narração da  partida entre  Palmeiras 2 x Alianza Lima do Peru 0 ontem a noite em São Paulo, jogo válido pela Libertadores da América. O conteúdo será divulgado em breve assim que o programa estrear. As candidatas a narradoras do Canal Fox Sports 2 durante a Copa do Mundo estavam acompanhadas da jornalista e  curadora do projeto  Vanessa Riche.




A comparação entre o rádio esportivo e o jornal impresso é mais do que válida. Antes eram vários jornais  que disputavam os leitores e os anunciantes,  tendo o conteúdo como o maior atrativo, (assim era o rádio). Hoje infelizmente  são poucos os  grandes jornais que circulam nas principais cidades, o conteúdo diminuiu, mas a concorrência se limita a dois ou três jornais no máximo. O rádio  está assim, são  duas, três ou quatro rádios no máximo que seguem disputando a audiência, cada uma com sua linguagem e segmento. A qualidade  do rádio do passado  equivale a grossura dos jornal de domingo ou do caderno de esportes por exemplo,. Hoje jornais e rádios diminuíram drasticamente seu conteúdo e consecutivamente seus funcionários por vários motivos, mas o principal sem dúvida é o econômico. Aconteceram fusões no impresso e no rádio, convergência de mídias e divisão de conteúdo com outras plataformas. Ao contrário do jornal impresso o rádio não vai acabar, vai se adaptar as plataformas existentes, mas  não vai acabar, pode até diminuir, mas não termina.  Já o impresso segundo  especialistas americanos  apostam que em virtude da evolução da  tecnologia e a migração do conteúdo para a web deve ter seus dias contados e a data para o fim do jornal impresso pelo menos em território americano seria  2025. 

Comentários

Postagens mais visitadas