domingo, 3 de abril de 2016

O rádio am continua agonizando

Anúncio da Revista Placar de 1989
IBOPE alto e anunciantes na fila
Um verdadeiro canhão das décadas de 70, 80 e começo dos anos 90..emissoras, programas e comunicadores com índices de audiência muitas vezes superiores aos programas de tv. Isso foi o rádio am,  tanto nas capitais como nos rincões mais afastados do nosso país o am    fez o que se esperava dele...informar, divertir...comunicar.  Há muito tempo ele tenta sobreviver de arrendamentos, produtos de cunho duvidoso que comprometem o trabalho do do departamento comercial e consecutivamente a sua sobrevivência. Claro que existem as "barganhas"  como por exemplo:  descontos superiores a 80% no preço de tabela, ou  conseguir aquela cota de publicidade do governo municipal, estadual ou federal e aí o departamento  de jornalismo da emissora que se vire, isso é claro se a venda   tiver o  chamada "rabo preso", existe ainda  a possibilidade, a de "casar"  a venda com o FM ( se for o caso ) ou com a  página da emissora na internet. Isso mesmo, o am hoje virou objeto de barganha para venda.  Na Capital de São Paulo por exemplo o episódio mais recente é a saída de uma equipe esportiva terceirizada em am para outra emissora em FM.  Todas as emissoras que fazem futebol na Capital transmitem em am e fm  casos de Globo-CBN ( que fundiu a equipe esse ano para cortar custos e tentar melhorar as vendas), Bandeirantes e Jovem Pan. As outras emissoras já transmitem em FM e mesmo assim cortaram custos como viagens, corte de equipe etc...   A fase econômica não está boa, mas é só a gente lembrar que nos últimos anos o am perdeu equipes esportivas próprias como Record 2011, Eldorado-Estadão-ESPN em 2012
Antônio Edson, Éder Luiz e Dalmo Pessoa,
 cobertura da Copa de 90 na Rádio Bandeirantes
 Capital em 2013.   Com todo respeito, tomo a liberdade de discordar do meu ex-colega de CBN e brilhante jornalista Heródoto Barbeiro,  que  afirmou em sua coluna o temível título:  "Fim do FM" que o blog reproduziu aqui.  Acredito que um dia isso vai acontecer, mas vai demorar bastante, talvez mais que o rádio digital, que virou uma espécie de "Pré Sal"  do dial.  Nunca se sabe quando vai sair do papel e quando sair pode estar fadado ao fracasso segundo comentários de alguns engenheiros que conversei.  O FM hoje  só não é o canhão que foi o am em décadas passadas por causa da tv as cabo, das novas tecnologias e também por causa da economia. O Ministério das Comunicações tem que agilizar a migração do am nas grandes capitais o mais rápido possível, pois a cada dia que passa a agonia... o  estado  vegetativo  do am vai desanimando a todos.
Fotos: Revista Placar e Blog do Tonicão

8ª. edição do Prêmio CBN de Jornalismo Universitário

O Prêmio CBN de Jornalismo Universitário chega à sua oitava edição no ano em que a rádio que toca notícia completa 25 anos. Como quem tem 25 anos está cheio de energia e planos, o tema escolhido para as reportagens é: Histórias de quem está trabalhando para que o mundo seja melhor daqui a 25 anos. O Prêmio CBN tem o objetivo de descobrir novos talentos e aproximá-los do rádio. As inscrições serão feitas apenas pelo site (cbn.com.br), de 11 de abril a 31 de julho. A divulgação do resultado ocorrerá no dia 1º. de outubro. Os trabalhos podem ser individuais ou em grupo. Os três melhores serão premiados, sendo um considerado vencedor e, os outros dois, menções honrosas. O primeiro colocado (ou primeiros colocados, no caso de reportagem em grupo) terá direito a troféu; iPhone; visita supervisionada para acompanhar o funcionamento da CBN em São Paulo, com as despesas de passagem e hospedagem pagas; veiculação do conteúdo na programação da rádio; e certificado de participação. As menções honrosas também terão o material veiculado na rádio e receberão certificados.

Ruim para o rádio Esportivo

Ruim para o futebol, péssimo para o rádio esportivo de  São Paulo, Campinas e Jundiaí. Muito triste ver que times tradicionais de São Paulo não conseguiram subir de divisão nessa temporada. Portuguesa, Juventus e Guarani  que completou 105 anos de fundação nesse domingo, mas nem assim o campeão brasileiro de 78 conseguiu brigar pelo acesso. Vão seguir série A 2 em 2017. E o Paulista de Jundiaí (Campeão da Copa do Brasil de 2005) foi rebaixado para a série A 3 em 2017. Incompetência de dirigentes dos jogadores ou de ambos?