quinta-feira, 31 de julho de 2014

Rádios piratas bolivianas lutam para sair da clandestinidade

Por Ricardo Rossetto - Veja SP 
Alan Gutierrez e Paulo Eduardo Queirós
 da rádio Nueva América
 O combate às rádios piratas representa uma eterna dor de cabeça para a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Mantidas no ar sem regulamentação, elas podem causar interferência na navegação de aviões, em celulares e na comunicação dos bombeiros e da polícia. Somente em 2013, o órgão fechou 36 estações ilegais no Estado. O problema ampliou-se recentemente na capital com a proliferação das emissoras bolivianas: já são catorze. Com transmissão exclusiva em espanhol (confira as principais no quadro abaixo), elas prestam serviços como ofertas de emprego, informam sobre os processos para a obtenção de documentos no Brasil e ajudam na divulgação de festas da comunidade. Apesar da fiscalização, que fecha os negócios e apreende os equipamentos usados nas transmissões, muitas ressurgem tempos depois. É o caso da Infinita, lacrada cinco vezes nos últimos nove anos. Na semana passada, porém, ela estava novamente em operação. 
O combate às rádios piratas representa uma eterna dor de cabeça para a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Mantidas no ar sem regulamentação, elas podem causar interferência na navegação de aviões, em celulares e na comunicação dos bombeiros e da polícia. Somente em 2013, o órgão fechou 36 estações ilegais no Estado. O problema ampliou-se recentemente na capital com a proliferação das emissoras bolivianas: já são catorze.  Com transmissão exclusiva em espanhol (confira as principais no quadro abaixo), elas prestam serviços como ofertas de emprego, informam sobre os processos para a obtenção de documentos no Brasil e ajudam na divulgação de festas da comunidade. Apesar da fiscalização, que fecha os negócios e apreende os equipamentos usados nas transmissões, muitas ressurgem tempos depois. É o caso da Infinita, lacrada cinco vezes nos últimos nove anos. Na semana passada, porém, ela estava novamente em operação. Uma das peculiaridades do negócio é que alguns dos integrantes do movimento legalista estão por trás das rádios piratas. Gutierrez, por exemplo, divide seu tempo entre o emprego de agente comunitário de saúde e a apresentação diária do programa Esporte Total, às 19horas, na rádio Nueva America, que funciona em seu próprio apartamento, no Bom Retiro, e só transmite pela internet. Pioneiro na área, Gutierrez começou sua trajetória em 2002, no telhado do antigo Edifício São Vito, no centro. Ali foram fundadas as estações Sudamérica e Expressão Latina, precursoras na colônia e fechadas no ano seguinte pela polícia. “Eu subia 24 andares a pé e ficava agachado enquanto falava, porque o lugar era apertado”, recorda. Sua paixão pelo tema motivou o filho Alan, de 14 anos, e um colega, o brasileiro Paulo Eduardo Queirós, de 13, a criar o programa What da Game?, sobre tecnologia, games e quadrinhos, no ar às 16 horas das segundas, quartas e sextas. 
Arte: Veja SP
Foto: Lucas Lima - Veja SP

José Nello Marques comemora 45 anos de carreira

Zé Nello trabalhando como cerimonialista
Um dos grandes jornalistas do rádio está se dedicando nesses últimos anos em seu projeto de rádio na internet, José Nello Marques é o responsável pela web Rádio Sonho( radiosonho.com).  Com passagem pelas  principais rádios jornalísticas de São Paulo, Nello segue aguardando convite para retornar ao dial, seu último trabalho  foi na Super Rádio am (Ex- Tupi). lá ficou por três anos, foram vários programas de prestação de serviço e entrevistas, com debates interessantes.  Conversamos rapidamente com o jornalista que ficou mais conhecido ainda quando comandava o Manhã Bandeirantes há alguns anos. Nello ressaltou que a a consolidação em emissora que muda o estilo, como foi o caso de sua última emissora é uma situação complicada, leva tempo. É mais ou menos como técnico montar um bom time (A Alemanha levou 12 anos para esquematizar a seleção que ganhou no Brasil).
" Trabalho diariamente no meu site www.radiosonho.com e o retorno está muito legal. São 24 horas de musica instrumental romântica e flashbacks (programas especiais como aniversário de Angela Maria, 10 anos sem Ray Charles, etc...) As pessoas também podem pedir música. Tenho postado entrevistas exclusivas (em áudio e video) aproveitado excelente material das nossas universidades públicas em pesquisa e sempre atento ao que é de interesse da população. Tudo isso me permite exercitar o que faço há 45 anos. E faço com muito prazer. Além do site tenho feito trabalhos como Mestre de Cerimônias (o último foi o Congresso Brasileiro de Hotéis) e jobs de Assessoria de Imprensa. Tudo muito sazonal" finalizou Zé Nello.
Boa sorte ao grande jornalista que faz muita falta no rádio.
Foto: Divulgação

Mudança no rádio Esportivo de São José dos Campos

Depois de 49 anos no mesmo prefixo a equipe do professor Alberto Simões (que continua adoentado depois de um AVC em 2012) vai mudar de  frequência. O   programa esportivo da RM do Vale do Paraíba, o "Parada dos Esportes", no ar ininterruptamente há 49 anos, sai dos 1120 am e vai para a principal concorrente a Rádio Piratininga 750 am Khz.
O fato acontece por causa da venda da emissora para a Primeira Igreja Batista, comprou a antiga Rádio Bandeirantes em julho de 2011, e como já era de se esperar, assim que terminou o contrato de 3 anos com a Band, vai ser uma emissora gospel voltada apenas para seus fiéis. Portanto  a partir da  próxima segunda-feira dia 4 de agosto a equipe que é terceirizada  e tem como foco o futebol e o basquete, vai estrear na nova emissora com dois programas diários: 12h30 as 13h00: Piratininga nos Esportes e parada dos Esportes das  18h00 às 19 horas, a equipe é formada pelos narradores Paulo Roberto de paula, Luiz Carlos Ribeiro e Carlos Nicolini -  comentaristas: Antônio Carmo, Edson Fonceca e  Luis Antônio Piedade - repórteres: Valtencir Vicente, Vieira Júnior, Chagas Júnior e Ronaldo  Tumaê - produção de Fernando Carlos.