sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Rádio Estadão adota Ex-Libris na nova logomarca


Com o slogan Rádio Estadão. A rádio de quem quer saber, a emissora assume que, a partir de 1º de janeiro, estará mais Estadão do que nunca. Mesmo assim, quem acordar em 2013 não irá se deparar com uma nova rádio, uma vez que as vinhetas, âncoras, diversos colunistas e programas permanecerão na grade. Com o fim da parceria com a ESPN, a intenção é integrar a emissora ainda mais com outras plataformas do grupo. A novo logomarca, totalmente reformulada, adota o símbolo do jornal O Estado de S. Paulo, o brasão Ex-Libris, o cavaleiro que traz as notícias. O futebol permanecerá na emissora, porém, adequado à tabela dos jogos de quartas e domingos. Outros esportes também serão contemplados, com suporte dos repórteres e editores do Estadão. “Os jornalistas do grupo estão animados com a possibilidade de expandir sua atuação também para o rádio, o que nos faz contar com um exército de 600 profissionais. Esse é um dos nossos grandes trunfos e diferenciais”, comenta Filomena Salemme, editora-chefe da Rádio Estadão. Segundo ela, entre os novos colunistas estão Alexandre Garcia (Política) e o coronel José Vicente (Segurança). Outros nomes serão anunciados em janeiro, assim como a grade completa. Em 2012, a emissora viu sua audiência crescer em 65% e para o novo ano o objetivo é ampliar a rede para todo o estado de São Paulo. “A expectativa é reunir mais de 25 emissoras na rede”, afirma Acácio Luiz Costa, diretor-geral da rádio Estadão.

José Silvério se emociona com exibição do gol narrado por ele em trio elétrico do Corinthians

O narrador José Silvério
Desde que o Corinthians chegou à cidade de São Paulo, na manhã desta terça-feira, dia 18, o “bando de loucos” gritou, vibrou e cantou. Houve, porém, um único momento em que a torcida se calou: na Praça Campo de Bagatelle, quando o Timão exibiu no trio elétrico a narração de José Silvério do gol da vitória que o sagrou campeão da Copa do Mundo de Clubes da Fifa. “Eu brinco sempre que um locutor que diz ‘não tenho palavras’ é burro, porque nós vivemos de palavras, mas em determinadas situações não tem mais o que falar. Muito obrigado, corintiano, por tudo”, disse Silvério, emocionado. “É muito diferente quando o Corinthians ganha. É o povo brasileiro, é a essência”, completou. O locutor, conhecido como “o pai do gol”, é o narrador oficial da Rádio Bandeirantes e completa 50 anos de narração de futebol em 2013. “É simplesmente o coroar de uma vida profissional fantástica daquele que transforma a emoção em palavras”, opina o apresentador José Luiz Datena. “Não é possível resumir a imagem deste gol a não ser pela expressão diferenciada do Silvério”. Crédito da foto: Divulgação/Rádio Bandeirantes