quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Escola de Agrapiúna (BA) é a vencedora do 12º Prêmio Escola Voluntária

Vencedores ao lado do jornalista Milton Neves
O Colégio Estadual Casa Jovem II conquistou o primeiro lugar na cerimônia apresentada por Marcelo Tas Os vencedores da 12º edição do Prêmio Escola Voluntária, uma iniciativa da Rádio Bandeirantes e da Fundação Itaú Social, foram anunciados nesta terça-feira, 27, pelo jornalista Marcelo Tas. O evento de premiação foi realizado no Itaú Cultural, localizado na Avenida Paulista, em São Paulo, e recebeu cerca de 200 pessoas. Tas dividiu o palco com convidados como o DJ Theo Werneck e os apresentadores Milton Neves, o craque Neto e Beto Hora, da Rádio Bandeirantes, e Tadeu Correia e Emerson França, representantes do programa “A Hora do Ronco”, que completa 25 anos na Band FM. Também estiveram presentes no evento Mario Baccei, vice-presidente do Grupo Bandeirantes, e Antonio Jacinto Matias, vice-presidente da Fundação Itaú Cultural. O objetivo do Prêmio Escola Voluntária é incentivar e reconhecer instituições de ensino responsáveis por projetos sociais que promovam o trabalho voluntário entre os seus alunos. Desde sua criação em 2001, Ano Internacional do Voluntariado, o Prêmio recebeu inscrições de mais de 4 mil escolas. O projeto “Teatro e Poesia Fortalecendo Identidades” do Colégio Estadual Casa Jovem II, de Igrapiúna (BA), foi considerado o vencedor dentre as 403 inscrições recebidas. Alunos da instituição trabalham para incentivar a leitura a crianças e residentes da comunidade quilombola Laranjeira. “Os meus quatro estudantes presentes aqui nesta noite representam os mais de 640 que se esforçam por este projeto. Queremos transformar a realidade com o protagonismo juvenil. E às outras nove escolas aqui presentes, este prêmio é nosso”, afirmou o professor de arte e responsável pela ação Francisco do Nascimento. A Escola Internacional de Alphaville, localizada em Barueri, São Paulo, ficou em segundo lugar com o projeto “Janelas para o Futuro”. O terceiro lugar foi para o projeto “Inclusão Digital”, da Escola Estadual de Ensino Fundamental Reinaldo Cherubini, de Nova Prata, no Rio Grande do Sul. As escolas vencedoras receberam prêmios em dinheiro para suprir necessidades específicas de cada projeto. A primeira colocada ganha R$ 15 mil, a segunda R$ 10 mil e a terceira R$ 5 mil. E, nesta noite, em um ato de solidariedade, a Escola Internacional de Alphaville doou o seu prêmio de R$ 10 mil para ajudar o vencedor, Colégio Estadual Casa Jovem II. Mario Baccei destacou a comoção gerada pelo evento. “Além de uma iniciativa educativa, tem um apelo emocional muito forte. Está na hora de lançarmos a Educação FM, porque o talento está aqui”, comentou, referindo-se aos estudantes. Em sua primeira edição, a iniciativa reconhecia apenas instituições de ensino do estado de São Paulo. Dez anos depois, o Prêmio abrange escolas de sete estados (Bahia, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo) e do Distrito Federal. “Este é um prêmio que nos toca muito porque ele aborda a questão da educação de qualidade, que requer uma escola muito preparada, mas também envolvimento da comunidade e das famílias. Quando você promove o voluntariado dentro da escola, você acrescenta ao processo de geração de conhecimento uma visão cidadã para o aluno, o que significa que você está preparando aquela criança ou jovem para a vida”, opinou Antonio Jacinto Matias. Por fim, Tas, mestre de cerimônias do evento há cinco anos, disse que se surpreende com o resultado da premiação a cada ano. “Por eu já ter participado diversas vezes, penso que já acostumei, mas não consigo não me emocionar. Hoje, após uma escola doar o prêmio à outra, quase não consegui falar”, disse, aos risos. “As pessoas hoje se esquecem de que trabalhar com o coração é o caminho para a comunicação e para a vida”, acrescentou. 
Foto: Divulgação