quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Cinema abre as portas para eventos ao vivo

 A experiência de se aconchegar em uma poltrona de uma sala de cinema para curtir as emoções de um bom filme em uma tela gigante e com qualidade impecável de áudio continua única. No entanto, os cinéfilos de plantão agora têm novas opções de entretenimento fora da sétima arte. Além dos tradicionais filmes, as redes estão colocando em cartaz shows de rock, óperas, balés e até mesmo eventos esportivos como o UFC, a Liga dos Campeões da Europa e o torneio de Wimbledon. Apesar de incipiente, o segmento tem atraído a atenção do público e das redes, que têm investido na ampliação do número de salas digitais (únicas aptas a realizar este tipo de transmissão graças à instalação de uma antena para receber o sinal via satélite) e na oferta de eventos, tanto os ao vivo, quanto os gravados. Para Fábio Lima, diretor da Mobz, empresa pioneira no setor, fundada em 2008, o desenvolvimento deste mercado é uma consequência da digitalização das salas de cinema.
“Não há um histórico lá fora. O Brasil é um dos poucos países que têm avançado em conteúdos especiais. Temos frequência e constância”, conta Lima. Dentre os produtos da empresa para o segundo semestre estão o início das temporadas 2011-2012 do Metropolitan Opera (começa em 15 de outubro) e do Ballet Bolshoi (a partir de 9 de outubro), o show Red Hot Chilli Peppers Ao Vivo – I’m With You (a apresentação do novo CD de inéditas da banda em 30 de agosto terá exibição simultânea em mais de mil salas no mundo), e o show Kylie 3D: Aphrodite Les Folies – Monilize (gravado em 3D).


Lotação esgotada

A UCI, por exemplo, além de óperas e balés, está investindo no esporte. A rede irá exibir, ao vivo, em 27 de agosto, o UFC Rio, evento de mixed martial arts (MMA). “Faremos em seis salas nas cidades de Fortaleza, Recife, Salvador, Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo. No Rio, vendemos tudo em cinco dias. Nas outras cidades estamos fazendo teste. Já temos 40% dos ingressos vendidos”, conta a diretora de marketing Monica Portella, que informa que a rede pretende duplicar o estoque de assentos disponíveis. Atualmente, seis das suas 153 salas fazem transmissões do gênero.

Para Monica, o principal desafio para o desenvolvimento do setor é a questão dos direitos no Brasil. “Lá fora é mais fácil negociar. O direito do Eric Clapton, por exemplo, é muito caro. Tentamos também transmitir o SWU de Itu, mas é difícil conseguir a autorização dos direitos. É um processo em andamento. Os produtores ainda verão que poderão aumentar as receitas. A capacidade de ingresso aumenta muito com a transmissão nos cinemas, é o que o UFC está fazendo”, analisa, destacando que o faturamento com esses produtos ainda é ínfimo perto da receita dos filmes.
Fonte: Meio & Mensagem 

Foto: Divulgação

Cinemark transmite a final da Supercopa da Espanha


O espectador pode acompanhar ao vivo os jogos nos cinemas da Rede em sua cidade.

Futebol e cinema em um só lugar. A Rede Cinemark em parceria com O Esporte Interativo oferece aos amantes do futebol a oportunidade de assistir, ao vivo, a final da Supercopa Espanha nos dias 14 e 17 de agosto. 
Serão dois jogos entre Barcelona e Real Madrid - no sistema ida e volta - sendo a primeira partida na casa do campeão da Copa do Rei e a volta na casa do campeão da Liga Espanhola. O primeiro jogo entre os rivais acontece em Madrid, no domingo, dia 14, às 17h (horário de Brasília) e será transmitido ao vivo, direto do Santiago Bernabéu Stadium. O jogo da volta acontece na quarta-feira, dia 17 de agosto, às 18h (horário de Brasília) no Nou Camp Stadium, em Barcelona.
A Rede Cinemark exibe os jogos em complexos de seis cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre e Santos. Os ingressos custam R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada) e podem ser adquiridos na bilheteria dos complexos participantes ou pela internet – www.cinemark.com.br. Para conferir toda a programação da Rede, acesse o site: www.cinemark.com.br.

Serviço
São Paulo
Shopping Metrô Santa Cruz – Rua Domingos de Moraes, 2.564
Shopping Tamboré (Barueri) – Av. Piracema, 699
Shopping Eldorado – Av. Rebouças, 3.970 (a exibição neste complexo será aberta ao público apenas no dia 14/08)
Rio de Janeiro
Shopping Downtown – Av. Das Américas, 500
Botafogo Praia Shopping – Praia de Botafogo, 400 (a exibição neste complexo será aberta ao público apenas no dia 17/08)
Belo Horizonte
Shopping Pátio Savassi – Av. Do Contorno, 6.061
Brasília
Pier 21 – Setor de Clubes Esportivos Sul – Trecho 2
Porto Alegre
Barra Shopping Sul – Av. Diário de Notícias, 300
Santos
Praiamar Shopping – Rua Alexandre Martins, 80

Ex- jogador Silvinho na rádio Golpel FM

Silvinho comentará amisto do Brasil. Jogo Marcará a estreia do Portal de Voz do Gospel Sports.

Silvinho no RIT Esportes
Silvinho, ex-jogador do Corinthians e Barcelona comentará o amistoso da Seleção Brasileira contra a Alemanha nesta quarta-feira a partir das três e meia da tarde. Vale lembrar, que a Rede Gospel de rádio foi uma das poucas emissoras a enviar um repórter para Stuttgart lado a lado com Brasil.
Marcos Lopes está em solo alemão desde segunda-feira.
Este jogo marcará também a estreia do novo canal de interatividade com o ouvinte.
No portal de voz ele (a)  terá três opções de números para ligar e deixar a sua mensagem que será veiculada ao longo da programação esportiva.

São Paulo 11 -4063-4901
Rio de Janeiro 21 - 4063-7227
Salvador 71 -4062-9793.

Em São Paulo a Gospel é sintonizada em 90.1 FM




Com "mil motivos", CBF acaba com horários fracassados

Público caiu com novos horários
A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou nesta terça-feira (9), por meio de comunicado publicado no site oficial, novos critérios para partidas do Campeonato Brasileiro e da Série B. A entidade decidiu uniformizar os horários dos jogos, no intuito de eliminar faixas pouco frequentadas pelo público e pouco lucrativas.
À Máquina do Esporte, o diretor de comunicação do órgão, Rodrigo Paiva, preferiu não concentrar a razão da padronização em apenas um motivo, como público, arrecadação ou queixas de clubes e torcedores. "Ter horários diferentes pode, por mil motivos diferentes, afastar o torcedor do estádio", justifica.
Aos sábados, por exemplo, a faixa de horário das 21h possuía os piores índices de público da atual edição do campeonato. Após 11 confrontos feitos nessas condições, os clubes mandantes envolvidos conseguiram acumular média de 8,7 mil pessoas por estádio. Às 18h30, esse número subia para média de 11,4 mil pagantes.
Em termos de arrecadação, novamente, a noite de sábado gerava os piores desempenhos financeiros. Em média, os mesmos 11 jogos disputados às 21h geraram média de R$ 160 mil para cada equipe anfitriã. Uma hora e meia antes, às 18h30, essa receita bruta já é bastante superior, com média de R$ 230 mil por jogo.
A partir desse contexto, a entidade optou por definir as 18h como horário ideal para jogos de fim de semana, tanto no sábado quanto no domingo. "Nós não vamos ficar determinando qual é o principal motivo dessa alteração, mas a padronização foi feita para que o torcedor possa se programar melhor", acrescenta Paiva.
Em relação aos jogos realizados em dias úteis, o novo horário padrão, 20h30, mais uma vez representa a faixa que atrai mais público e renda. As quartas-feiras, nessa hora, representam os melhores índices até a 15ª rodada do Nacional. Foram 17,3 mil pessoas e R$ 383 mil arrecadados em média nas 15 partidas feitas nesse horário.
A título de comparação, quando os jogos foram disputados uma hora antes, às 19h30, esses números registram queda significativa. A média de público desce para 10,5 mil pagantes por arena, enquanto a receita bruta é de R$ 171 mil em média para cada clube mandante. A quinta-feira também possui o mesmo cenário.

Confira, abaixo, levantamento feito pelo site Máquina do Esporte:

Domingo (em média)
40 jogos às 16h: 16.399 torcedores e R$ 369.712 arrecadados
24 jogos às 16h: 10.701 torcedores e R$ 203.617 arrecadados

Sábado (em média)
28 jogos às 18h30: 11.441 torcedores e R$ 230.661 arrecadados
11 jogos às 21h: 8.729 torcedores e R$ 160.917 arrecadados

Quinta (em média)
6 jogos às 19h30: 12.734 torcedores e R$ 185.333 arrecadados
8 jogos às 21h: 10.165 torcedores e R$ 248.938 arrecadados

Quarta (em média)
14 jogos às 19h30: 10.552 torcedores e R$ 171.772 arrecadados
15 jogos às 20h30: 17.326 torcedores e R$ 383.804 arrecadados

A pesquisa considera todas as partidas realizadas até a 15ª rodada da primeira divisão do Campeonato Brasileiro em 2011 cujos boletins financeiros foram divulgados pela CBF.