terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Quando o rádio esportivo era rádio de verdade

21-10-1993
Avenida Paulista, 900
Rádio Gazeta am, "A rádio que pratica esporte"
Equipe "Dona da bola"

Mais uma foto célebre do rádio esportivo de São Paulo, com a equipe "Dona da Bola" da Rádio Gazeta am de São Paulo e a expectativa da estreia em Outubro de 1993.
Ouvi muito esses ótimos profissionais, muitos dos quais se não trabalhei depois acabou virando colega de imprensa.
Que saudade do verdadeiro rádio esportivo em São Paulo quando não existiam os tubos e a fatia do mercado publicitário possibilitava algumas emissoras na capital a fazer um ótimo e digno jornalismo esportivo que não existe mais.

Em pé: Mauro Betting, Pedro Luiz Júnior, Ricardo Capriotti, Regiane Ritter,Ricardo Wagner, Dirceu Cabrail, Eduardo Luiz (Ligeirinho), Marcelo Di Lallo, Jarbas Duarte. Sentados: Enio Rodrigues, José Diniz Neto, Silvio Valente, Jiane Carvalho e Pedro Luiz.


Foto: Facebook Marcelo Di Lallo
Máquina do Esporte

Fluminense espera arrecadar R$ 10 mi com Guerreiro Tricolor

A gestão de Peter Siemsen no Fluminense, depois da conquista do Campeonato Brasileiro, começou audaciosa. Após cerca de duas semanas de trabalho intenso, em meio ao período de festas, o clube carioca lançou o "Guerreiro Tricolor", criado para facilitar e incentivar a compra de ingressos. A quantia a ser arrecadada, R$ 10,5 milhões.

A meta foi traçada por Idel Halfen, vice-presidente de marketing do time. Com base no valor médio de R$ 300, quando há sete pacotes por valores entre R$ 220 e R$ 320, a meta do clube é atingir 35 mil pessoas. "Dentro das limitações que o Fluminense tem, sem ter estádio próprio, o programa está realmente ótimo", afirma Halfen.

Por ora, a impressão é de que os objetivos de arrecadação estipulados pela nova presidência ainda estão além da realidade do clube. Durante o último torneio nacional, no qual se sagrou campeão, e portanto teve índices de bilheteria impulsionados, em 19 partidas, foram arrecadados R$ 11 milhões. O novo programa conta com apenas nove jogos.

A idealização do Guerreiro Tricolor, por sua vez, foi responsabilidade da nova parceira do departamento de marketing do Fluminense, Traffic. A agência de marketing esportivo preparou o projeto, e o clube o adaptou para a realidade carioca. "Não teríamos condição de fazer toda a parte operacional sem eles", finaliza o vice-presidente.


Tudo Rádio


Emissoras cariocas se unem na solidariedade


As emissoras do Rio de Janeiro fizeram uma grande cobertura sobre a tragédia das chuvas, que atingiu cidades na região serrana do estado. Algumas rádios, principalmente as voltadas ao jornalismo, alteraram o horário de exibição da Voz do Brasil para auxiliar ouvintes que buscavam informações.

Uma das emissoras que mais destacou a tragédia foi a BandNews FM 94.9 que, na quinta-feira, transmitiu a Voz do Brasil às 23 horas. Além disso, a sede do Grupo Bandeirantes, que fica no bairro de Botafogo, está recebendo donativos que serão levados para os desabrigados e desalojados da região serrana.

Segundo informações algumas emissoras das cidades atingidas pelas fortes chuvas ficaram fora do ar por um período. Outras permaneceram com a sua programação, como é o caso da Terê FM 93.7 de Teresópolis. Ontem a noite, a rádio disponibilizou seu telefone para prestar informações sobre desaparecidos, locais de coleta de donativos, entre outras informações. A rádio suspendeu sua programação normal para prestar informações sobre bairros que ainda não receberam as equipes de ajuda, além das informações sobre os trabalhos no Instituto Médico Legal de Teresópolis.

Em Petrópolis, a rádio UCP FM 106.3, emissora controlada pela Universidade Católica de Petrópolis, também estava no ar e sendo transmitida pela Internet, assim como a Terê FM. Já a Sucesso FM 88.1, a Caledônia Gospel FM 90.1, ambas de Nova Friburgo e a Tribuna FM 88.5 de Petrópolis não estavam com suas programações sendo transmitidas pela Internet.

Clique aqui e veja a lista de rádios da região serrana do Rio de Janeiro