quarta-feira, 20 de julho de 2016

Torcedores.com lança Curso de Jornalismo Esportivo gratuito em plataforma interativa


O Torcedores.com lançou a nova versão do seu Curso de Jornalismo Esportivo. As aulas têm o intuito de formar estudantes e entusiastas que almejam ingressar no mercado de trabalho e trilhar carreira como jornalista esportivo. E o curso está em nova plataforma, que permite uma interatividade muito maior. O curso prevê aulas teóricas e práticas que abrangem desde noções básicas da cobertura esportiva até orientação personalizada de profissionais da área para formação de setoristas. Já na primeira atividade, os alunos terão a oportunidade de ter seus textos publicados pelo Torcedores.com e divulgados por parceiros de grande audiência como Esporte Interativo, iG, RBS, Elemidia e MSN. Oportunidade de carreira e remuneração Ao término do curso, os alunos terão um portfólio de conteúdo que abrirá as portas para o mercado de trabalho. Além disso, aqueles que se tornarem colaboradores frequentes do site passarão por avaliação dos editores. Os autores com melhor desempenho em qualidade e audiência poderão ganhar uma vaga como colaborador fixo e remunerado pelo portal. Como participar? Para participar, basta fazer o seu cadastro no link http://torcedores.com/seja-um-colaborador. Além disso, você precisa se inscrever na nova plataforma aqui. Não perca tempo! As turmas são fechadas quando atingirem a capacidade máxima de 40 integrantes. Sinta-se livre para tirar dúvidas sobre o processo com o editor Renan Prates pelo e-mail renan@torcedores.com. 
Sobre o Torcedores.com 
O Torcedores.com é o primeiro portal colaborativo sobre esportes no Brasil que propõe um modelo inovador de conteúdo, o de trazer a visão do espectador. Com uma editoria que faz a seleção do conteúdo a ser publicado, a página conta atualmente com a incrível marca de 4 mil colaboradores e uma audiência de 6 milhões de visitantes únicos.  

Você é Curioso?” comemora 15 anos com transmissão especial ao vivo direto do MASP

Silvania Alves e Marcelo Duarte
No próximo sábado, dia 23, o programa “Você é Curioso?” comemora 15 anos com uma edição especial. A atração da Rádio Bandeirantes apresentada por Marcelo Duarte e Silvania Alves será transmitida ao vivo direto do Auditório do MASP (Avenida Paulista, 1578), das 10h às 12h. A entrada é gratuita. Como já virou tradição nos aniversários do programa, a festa terá incríveis números musicais com apresentações ao vivo. Uma das atrações é o primeiro show da banda Bek e os Tio de Fusca, que toca sucessos dos anos 80 e 90 e foi revelada recentemente pelo “Você é Curioso?”. A cantora Paula Marchesini, que foi destaque no programa “The Voice” e era crooner da banda The Soundtrackers, apresentará um trecho do show As Divas do Rock. Acompanhada da Bek e os Tio de Fusca, Paula cantará a canção "Material Girl", de Madonna, que faz parte do repertório dela e da banda. Para fechar a celebração, 15 casais de ouvintes serão convidados a subir ao palco para o baile de debutantes que terá a participação de Moacyr Franco, que cantará alguns de seus maiores sucessos. A edição especial de 15 anos do “Você é Curioso?” também será transmitida ao vivo pelo Facebook da Rádio Bandeirantes, basta acessar https://www.facebook.com/radiobandeirantes Saiba mais sobre a Rádio Bandeirantes em www.radiobandeirantes.com.br e siga a emissora nas redes sociais:https://twitter.com/RBandeirantes e https://www.facebook.com/radiobandeirantes

Encontro de Campeões da Rádio Eldorado traz a força do rap, da MPB e do taekwondo para o palco


Força, luta e muita música boa se juntam no palco no quinto Encontro de Campeões, promovido pela Rádio Eldorado. A emissora reunirá, dia 26 (terça-feira), o rapper Emicida, o cantor e instrumentista Fióti e o lutador de taekwondo Diogo Silva em encontro na Livraria Cultura do Conjunto Nacional (Avenida Paulista, 2073 - Bela Vista), a partir das 20h. O evento, que é aberto ao público, é uma reedição de duas iniciativas de sucesso da Eldorado em passado recente, mas com roupagem nova: o Grandes Encontros e o Grandes Encontros Olímpicos. A ação é multiplataforma, envolvendo jornal impresso, portal e emissora, e faz parte do Projeto Olímpico.  O próximo evento acontece dia 11 de agosto, no Shopping Central Plaza. O encontro também transmitido ao vivo pela emissora (FM 107,3) e pelo Território Eldorado (www.territorioeldorado.com.br).

Band FM é a rádio oficial da Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos

A Rede Band FM prepara uma cobertura especial da Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos. A 61ª edição do evento, que acontece de 18 a 28 de agosto, terá a presença das principais estrelas do universo sertanejo, campeonatos nacionais e internacionais de rodeio e diversas atrações que resgatam a cultura do interior. A festa de lançamento do evento acontece hoje à noite na Villa Country, a maior casa sertaneja da América Latina, com show ao vivo de Simone & Simaria e participações de Fernando & Sorocaba, Milionário & Marciano, Thaeme, Bruno Barreto e Felipe Araújo. Pelo 20º ano, a Band FM é a emissora oficial da maior Festa de Peão da América Latina. A rádio estará presente com um amplo projeto de divulgação, promoções e transmissões ao vivo de Barretos direto de um estúdio completo montado em um dos melhores pontos da festa. Shows das principais estrelas do universo sertanejo serão transmitidos pela emissora: Jorge & Mateus, Fernando & Sorocaba, Gusttavo Lima, Henrique & Juliano, Rionegro & Solimões, Matogrosso & Mathias, Wesley Safadão, Simone & Simaria, Paula Fernandes, Maria Cecília & Rodolfo, Thaeme & Thiago, Henrique & Diego, Lucas Lucco, Teodoro & Sampaio, João Bosco & Vinicius, Aviões do Forró, Maiara & Maraisa, entre outros.

O ex-preparador físico Hélio Maffia lança seu livro no próximo dia 26 de julho

Hélio José Maffia foi um grande esportista em várias modalidades, inclusive no vôlei, chegando à Seleção do Estado de São Paulo. - Foi professor de Educação Física e diretor da Escola Superior de Educação Física de Jundiaí, que ele ajudou a fundar. - Foi o preparador físico do Paulista de Jundiaí entre 1966 e 1968, quando o clube conquistou um histórico acesso à elite do futebol do Estado. - Trabalhou no São Paulo entre 1969 e 1971, quando esta equipe foi bicampeã paulista. - Marcou época, ao lado do grande treinador Oswaldo Brandão, na Segunda Academia do Palmeiras, na primeira metade da década de 1970. - Em sua passagem pelo Guarani, entre 1978 e 1980, o clube foi campeão brasileiro. - Sua trajetória no Corinthians foi marcada por títulos e pela participação no histórico movimento da Democracia Corinthiana, do início ao fim. - Além disso, foi o preparador físico de uma Seleção Brasileira, treinada por Brandão, que contou com Rivellino, Zico e Falcão, entre outros grandes craques.  Sobre o autor Gustavo Longhi de Carvalho é jornalista, com trabalhos realizados na área de jornalismo esportivo. Também é engenheiro mecânico, com mestrado nesta área. Trabalhou por dez anos na indústria e atua como professor universitário e pesquisador jornalístico, além de ministrar palestras. Este é seu quinto livro, sendo o quarto ligado ao universo do futebol. 
SERVIÇO
“Hélio Maffia – À Sua Maneira” “Memórias e a Trajetória Profissional de um dos Maiores Preparadores Físicos do Brasil.”  
Dia 26 de julho (terça-feira), a partir das 19h00, no Salão da Federação Paulista de Futebol -  Rua Federação Paulista de Futebol, 55. Capital - São Paulo.
Dia 29 de julho (sexta-feira), a partir das 19h00 no Salão do Tênis Clube Jundiaí Rua Dr. Édson Zardeto de Toledo, 235. - Jundiaí - São Paulo.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

O Rádio e a Olimpíada

O espetáculo midiático que, a um mês dos Jogos Olímpicos, amanheceu traduzido em números pelas páginas do jornal “Valor Econômico” encontrou seu reverso ao entardecer, quando se soube do surrupio de dois contêineres de uma tevê alemã. Nessa sexta-feira que inaugurou o mês de julho e mostrou a velocidade do pêndulo pela qual se podem medir nossas contradições, o tabloide que circula encartado na edição de fim de semana maior jornal de economia cravava na capa: “O maior espetáculo da Terra”. Que não é o carnaval das escolas de samba. Os números da matéria são ciclópicos: vinte e cinco mil jornalistas credenciados, audiência estimada em 5 bilhões de pessoas ao redor do mundo, uso de tecnologia avançada – como imagens de 8K. Em evento tão imagético, pensado e organizado para a televisão, que papel cabe às emissoras de rádio que adquiriam direitos de transmissão neste naco midiático? A pergunta se estende a outros eventos televisivos que não somente os de esporte; e, pela dimensão dos Jogos Olímpicos, há novas questões que merecem ser analisadas. Como o desafio a que se propôs o Sistema Globo de Rádio, ao reservar duas frequências – uma no Rio, outra em São Paulo – para dedicar-se integralmente à cobertura da Olimpíada. Se todas as 42 modalidades olímpicas, mesmo aquelas que despertam pouco interesse ou soam exóticas, cabem na tela de televisão, sua adaptação para a linguagem do rádio é problemática, quando não impossível. E, no Brasil, o rádio reflete a monocultura do futebol na predileção da massa. Num passado mais remoto, transmitiam-se basquete, vôlei, natação, turfe e fórmula-1 (estas duas últimas não são olímpicas). Num passado mais recente, emissoras que já se restringiam somente a futebol e automobilismo deixaram de lado a fórmula-1 (exceto as do Grupo Bandeirantes de Comunicação), pelo alto custo dos direitos de transmissão e pelo desinteresse dos brasileiros pelo esporte, carente de ídolos nacionais desde a morte de Ayrton Senna, há mais de duas décadas. A televisão oferecerá uma avalanche de opções: no Brasil, sete emissoras, sendo três abertas e quatro fechadas, dedicarão centenas de horas de transmissão. As tevês fechadas terão mais de um canal para transmitir o maior número possível de modalidades. Isso sem falar nos sites, nos aplicativos e nos incontáveis programas especiais sobre o megaevento. Nesse cardápio copioso, que mágica pode fazer o interessado pela Olimpíada, e não somente pelo futebol olímpico, preferir o rádio – ou ao menos conjugá-lo com a imagem, como fazem os que viveram o auge do rádio esportivo e não o abandonaram quando as tevês passaram a fazer a mesma coisa? A linguagem radiofônica – “quente”, como classificou Marshall Mcluhan, mais dinâmica e emocionante – tem de constituir-se com alternativa. Ao que se deve juntar o intenso e instantâneo trabalho de prestação de serviço, tão importante quanto as competições, uma vez que os jogos serão aqui, com significativas mudanças na rotina da cidade e de seus moradores – sobretudo quando esta cidade passa por problemas gravíssimos que lhe afetam a imagem internacional – e logística complexa para chegar aos locais de competição e sair deles. A informação útil não deve estar circunscrita às emissoras do Rio de Janeiro. Com a mobilidade do rádio ampliada pelos aplicativos para smartphone e pelas páginas da internet, turistas nacionais que virão à cidade poderão orientar-se pelas suas emissoras prediletas ou por aquelas que lhes são mais próximas por motivos geográficos. Trata-se de uma estratégia para fidelizar a marca. Ainda assim, o tamanho do desafio é proporcional à capacidade do rádio de, mesmo presente na vida do brasileiro, como atestam pesquisas recentes, mimetizar o que outros meios farão de modo sedutor. 
Por: Bruno Fillippo Jornalista e sociólogo

Música supera notícia e conquista 94% dos ouvintes de rádio

Programação musical é o estilo de atração mais popular no meio rádio brasileiro. De acordo com estudo revelado pelo Kantar Ibope Media nesta semana, "música" é o tipo de conteúdo que mais agrada os ouvintes do país, sendo acompanhado por 94% do público. A pesquisa separou a parte musical por estilos. Dos entrevistados, 50% garantem que acompanham canções sertanejas que são tocadas pelas emissoras. Na sequência, aparecem outras quatro categorias: MPB, sucesso/as mais pedidas (nacional),samba/pagode e sucesso/as mais pedidas (internacional). O rock, que pauta veículos segmentados, não figura na lista.
Não musical 
Diferentemente de conteúdo musical, que de acordo com os dados do Ibope não está presente em somente 6% do público que ouve rádio no Brasil, a parte definida pela pesquisa como "qualquer estilo de programa não musical" tem penetração em 83% da audiência potencial. Na parte "não musical", cinco categorias foram elencadas, com a parte propriamente jornalística sendo representada por "noticiários (locais, nacionais ou internacionais)" e "notícias (policiais, trânsito ou tempo)". O primeiro surge com alcance de 71% do público em potencial, enquanto o segundo tem 61%. A divisão entrevistas/programas falados" aparece com 34%, sendo seguida por "comentários esportivos" (25%) e "programas religiosos" (24)%. A pesquisa do Ibope apontou, além da audiência por tipo de programação, pontos como o horário de pico do rádio em dispositivos e o investimento publicitário no meio em 2015.