quinta-feira, 30 de junho de 2016

Jornalista se despede do Diário de São Paulo

Última coluna foi as bancas nessa quarta-feira (29)
Foram  quase 13 anos como repórter e colunista do Diário de São Paulo, nessa quarta-feira o jornalista Jorge Nicola usou sua página na internet para informar que  ontem, dia 29 estava indo as bancas a sua última coluna no jornal diário, e que estava deixando o periódico:  Essa foi minha última coluna no Diário de S. Paulo. E eu só posso agradecer ao jornal que mudou minha trajetória como jornalista disse Nicola que também agradeceu a todos que ajudaram e colaboraram com sua passagem pelo jornal. O jornalista segue trabalhando como comentarista na ESPN Brasil e Bradesco Esportes FM e vai continuar escrevendo seu blog no Yahoo. 

Gregório Duvivier e Marco Feliciano batem boca no programa "Pânico" da rádio Jovem Pan

Conversa entre o Deputado Marco Feliciano
 e o ator Gregório Duvivier foi tensa
Não é de hoje que os humoristas do canal do YouTube Porta dos Fundos se envolvem em polêmicas políticas – a provocação é uma das armas mais elogiadas do grupo, que chega nesta quinta (30) aos cinemas com o filme Contrato Vitalício. Mas talvez nem Gregório Duvivier, um dos integrantes mais barulhentos, esperasse um “confronto” direto com um de seus principais alvos: o pastor-deputado Marco Feliciano (PSC-SP). Convidado para o programa de rádio Pânico, da Jovem Pan, Gregório foi surpreendido por uma ligação de Feliciano. O resultado foi uma discussão ao vivo:. “Quando ele diz que não é petista, ele mente. Assume, amigo. Ele é mais vermelho que o Fidel Castro”, começou o político. “Como você está dizendo isso? Agora eu vou processá-lo”, disse, em tom de ironia, Duvivier. “O meu problema com o Duvivier é que eu queria saber por que ele não faz uma charge, não faz um humor com o Islã, com o Estado Islâmico, com o Maomé. Por que só com o cristianismo?” “Porque não tem nenhum deputado islâmico roubando meu dinheiro, senhor”. “O brasileiro está precisando sorrir, o politicamente correto destruiu nosso país.” “Sabe o que destruiu nosso país, senhor? A bancada evangélica” “Ah, não vá falar mal de cristão, Duvivier…” “Mas você é o primeiro a falar mal dos católicos. Tem todo um número no YouTube em que você fala mal dos católicos. Diz que Jesus não morreu pra ficar em peito de vagabunda.” “Esse vídeo foi gravado há 22 anos. Há 22 anos eu era outro homem, tinha outro pensamento. Havia uma briga religiosa. Se eu pudesse voltar no tempo, não teria falado aquelas porcariadas. Naquele momento eu era um menino na igreja” “Antigamente o cartão de crédito tinha carbono, hoje tem chip, né?” Mais adiante, Feliciano diz que Duvivier deve tomar cuidado com seu novo filme porque a Lei Rouanet está sob investigação da Polícia Federal. “Esse filme não tem Lei Rouanet, estúpido, tem Lei do Audiovisual. Vamos estudar?”, atacou Duvivier.
               Assista ao vídeo:
Fonte: Veja SP
Vídeo e Fotos: Jovem Pan

“Compramos casos jornalísticos”, diz SBT



O SBT lançou uma nova forma de financiar jornalistas: comprar reportagens. Um anúncio publicado na página da emissora e um vídeo de vinte segundos convida profissionais de rádio, jornal ou televisão a oferecerem reportagens em troca de R$ 10 mil. A mensagem deixa claro: “Não é concurso! É compra de casos jornalísticos! A emissora não informa para qual telejornal o conteúdo será dirigido e afirma que o critério para a seleção inclui “qualquer assunto que possa ser apresentado nos programas de TV da casa. ” O último investimento da emissora em jornalismo foi o Primeiro Impacto, telejornal matutino apresentado pelas jornalistas Karyn Bravo, Joyce Ribeiro e Patricia Rocha que estreou no fim de março e é um formato original da emissora americana Univision.
Confira o link aqui

15º Prêmio Escola Voluntária prorroga inscrições até o dia 10 de julho

O prazo para as inscrições da 15º edição do Prêmio Escola Voluntária foi prorrogado. Projetos de voluntariado realizados por alunos de escolas do Ensino Fundamental e Médio podem ser inscritos no site http://www.escolavoluntaria.com.br até o dia 10 de julho. Podem participar instituições de ensino dos seguintes estados: Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Distrito Federal. O Prêmio Escola Voluntária é uma iniciativa da Fundação Itaú Social e da Rádio Bandeirantes e tem como objetivo formar, incentivar e reconhecer escolas de Ensino Fundamental e Médio, públicas ou privadas, que desenvolvem projetos de voluntariado junto à comunidade. O projeto deve contar com a participação voluntária de alunos do 9º ano do Ensino Fundamental e/ou em qualquer série do Ensino Médio. Desde 2014, cada edição do Prêmio passou a ser composta por dois anos, sendo que nos anos pares as escolas são premiadas pelo desempenho de seus projetos e, nos anos ímpares, são oferecidos cursos de formação. Desde 2001, o Prêmio já recebeu mais de 5.500 inscrições. No ano de premiação, cada escola selecionada (10 por edição), recebe uma equipe da Rádio Bandeirantes que transmite aos alunos conceitos de radiojornalismo e orientações práticas sobre como elaborar conteúdo para uma rádio. As reportagens produzidas pelos estudantes são veiculadas na programação da emissora. Por fim, uma comissão julgadora seleciona os melhores trabalhos, que serão premiados em cerimônia. A troca de experiências entre as escolas finalistas motiva estes jovens, que acreditam na responsabilidade social, a continuarem neste caminho. Incentivar escolas que promovem o voluntariado a ensinar que cidadania e solidariedade começam na sala de aula é um dos objetivos desta iniciativa.
Premiação 
1º lugar: R$ 20.000,00 
2º lugar: R$ 15.000,00 
3º lugar: R$ 10.000,00 
Educador Destaque: um notebook
Cronograma 
30/05 a 10/07 – Período de inscrições   01/08 – Divulgação das escolas finalistas    15/08 a 16/09 – Visita às escolas finalistas   07/11 a 18/11 – Veiculação das reportagens feitas pelos alunos na Rádio Bandeirantes 21/11 a 23/11 – Encontro das escolas finalistas em São Paulo 22/11 – Evento de premiação em São Paulo.

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Interior de São Paulo e Sul de Minas Gerais terá nova emissora a partir de 1/7

A nova emissora vai trazer o melhor da música cristã para mais de 3 milhões de pessoas que poderão conferir a novidade a partir da próxima sexta-feira  dia 1º de julho. Com a frequência dos 97.7 FM a BOA FM, emissora sediada em Campinas  trará muita interação com o ouvinte, promoções exclusivas e informação. Serão 24 horas tocando o melhor da música cristã nacional e internacional, levando a paulistas e mineiros os principais nomes do segmento. A nova emissora  poderá ser ouvida em importantes cidades (veja o quadro acima) . Na lista estão, além de Campinas, Piracicaba, Limeira, Leme, Americana, Amparo, Rio Claro e Bragança Paulista, entre outras. Serão mais de 3 milhões de pessoas, de acordo dados do IBGE, que receberão o sinal da BOA 97,7 FM. Com uma programação completa, a BOA 97,7 FM já #tánocoração do interior de São Paulo e do sul de Minas Gerais! 
Boa sorte  aos proprietários, diretores e investidores da nova emissora que abre esse importante espaço no dial da região, principalmente quando o assunto são vagas  de trabalho para os profissionais do rádio de Campinas e  da Região.

Rádio Eldorado estreia programa sobre moda

A jornalista Maria Rita Alonso será a
apresentadora do programa 
O universo da moda e seus temas conexos serão o foco da nova atração da Rádio Eldorado, que estreia na próxima segunda-feira (4). Com apresentação da jornalista Maria Rita Alonso, A Moda e a Cidade irá abordar as principais tendências da moda e cenas da cultura urbana ligadas à música, destacando as canções e os movimentos musicais que exercem grande influência no jeito contemporâneo de vestir e de se expressar. O boletim entrará no ar em duas edições diárias na programação da emissora, de segunda à sexta-feira, às 10h30 e 18h30; e fins de semana, às 11h30 e 17h30. Maria Rita Alonso é editora de moda do Estadão e diretora da revista L’Officiel. Começou sua carreira cobrindo o setor para a revista Veja, foi colunista de Veja S. Paulo e diretora de redação da revista Estilo (In Style Brasil). Hoje também dá palestras e consultorias sobre o tema. A Moda e a Cidade e toda a programação da emissora podem ser ouvidos pelo Território Eldorado (www.territorioeldorado.com.br) e pela própria fanpage (www.facebook.com/radioeldorado), que disponibiliza player ao vivo.
Foto: Divulgação

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Presidente e diretor de futebol do Palmeiras processam jornalista de rádio

No dia 27 de março desse ano o Palmeiras entrou em campo pela 12ª rodada do Campeonato Paulista, dentro de campo a equipe jogou muito mal  e acabou  sofrendo uma goleada por 4 x 1 para o time  do Água Santa em Presidente Pudente, interior de São Paulo. Essa goleada teve grande repercussão entre os torcedores palmeirense que sofreram com inúmeras gozações dos rivais. Dia depois um dos membros do grupo de WhatsAppvazou  o áudio  contendo fortes críticas ao time que atingiu além do  elenco, o treinador Cuca, o dirigente Alexandre Matos até chegar ao conhecimento do Presidente do Palmeiras Paulo Nobre. Assim que a torcida descobriu as visualizações  foram  aumentando ( hoje os vídeos ultrapassam 250 mil visualizações só no YouTube)    os compartilhamentos  aumentavam cada vez mais, a reação de quem ouvia era dividida entre  quem achava  engraçado  e  os que ficavam espantados, pois o autor não era de um simples torcedor anônimo, mas sim do jornalista  Felippe Facincani, que na data ocorrida tinha menos de dois meses de trabalho na respeitada e conceituada emissora de rádio com tem quase 80 anos de fundação, sendo referência no jornalismo e com muita credibilidade no esporte, Facincani é experiente, já trabalhou em outras grandes empresas e tratou de imediatamente pedir desculpas aos envolvidos nesse infeliz acontecimento, o jornalista passou por um período muito difícil, foi suspenso e posteriormente retirado da cobertura diária do Palmeiras, clube que hoje raramente é escalado nas jornadas como repórter de campo tamanha a  repercussão negativa, teve inclusive que encerrar contas nas principais redes sociais, visivelmente abatido recebeu apoio da família, e dos  colegas, inclusive de quem por deslize assumiu a culpa pelo vazamento, foi preservado pelos coordenadores e diretores que  seguem apostando em seu trabalho como repórter e também comentarista,  afinal quem nunca cometeu um errou na vida?
Alexandre Mattos e Paulo Nobre não esqueceram o teor da gravação, muito menos as desculpas e trataram de acionar seus advogados que dias depois abriram processo contra o jornalista que agora terá que apresentar a sua defesa no Juizado Especial Criminal do Fórum Regional de Pinheiros, a ação ainda não tem data marcada. A coluna entrou em contato com a  Assessoria de Imprensa do Presidente Paulo Nobre que preferiu não se manifestar a respeito do assunto, o mesmo aconteceu com o Diretor de Futebol Alexandre Mattos. Facincani por sua vez ignorou o contato da coluna, dando a entender que não quer falar do assunto. 
Segue abaixo detalhes do processo segundo dados do TJSP:
Partes do Processo
Querelante: Paulo de Almeida Nobre 
Querelante: Alexandre Figueiredo Mattos 
Querelado: Felippe Facincani
Vistos.A lei 9099/95, especial em relação ao Código de Processo Penal, estipula que a competência para as infrações de menor potencial ofensivo devem ser processada no local em que praticada a infração (art. 63). Ainda que se trate de crime contra a honra injúria - cuja consumação ocorre quando a vítima toma conhecimento da ofensa, inaplicável o art. 70 do CPP já que no microssistema dos juizados há regra própria (art. 63).No caso em tela, segundo consta, trata-se de ofensa praticada por meio de vídeo postado na internet. Não obstante o crime tenha se consumado quando as vítimas tomaram conhecimento das ofensas - podendo ser em qualquer lugar, já que o crime teria sido cometido pela rede mundial de computadores, não se sabe, ao certo, em que local fora ele praticado (postagem do vídeo ou remessa para grupo de Whatsapp).Nesta específica situação quando não conhecido o lugar da infração o art. 92 da Lei 9099/95 autoriza que sejam aplicáveis subsidiariamente os dispositivos do CPP. Assim, consoante art. 72 do CPP, não sendo conhecido o lugar da infração, a competência deve regular-se pelo local de domicílio ou residência do réu aqui querelado. Nesse sentido, como declarado nos autos que o domicilio do querelado é na Rua Radiantes, nos termos do art. 72 do CPP, determino a remessa dos autos ao Juizado Especial Criminal do Fórum Regional de Pinheiros. Intime-se.