segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Top FM fora do ar por determinação judicial

ANATEL segue fiscalizando e fechando
emissoras em São Paulo
A Top FM, que opera em 104,1Mhz na região da Grande São Paulo, está fora do ar desde a última quinta-feira 27/09. Consultada a respeito, a Anatel informa que na data de ontem a agência cumpriu uma determinação judicial para fazer com que a emissora interrompesse suas transmissões. Pela internet, a transmissão segue normal. Não foram informados maiores detalhes sobre o que motivou essa ação por parte da agência regulatória. No entanto, vale lembrar que a emissora, de propriedade da Rede Mundial de Comunicações, já saiu do ar em pelo menos duas ocasiões devido a problemas no que diz respeito a relação entre sua concessão e abrangência. Em 2002, a emissora, ainda com o nome de Tupi FM, ficou alguns dias fora do ar. 

Fonte: RadioAmantes

Do BLOG/Coluna

A TOP FM foi a segunda emissora fechada pela Anatel em São Paulo.  A Vida FM  que operava em 96,5 Mhz segue fechada há mais de um mês. A Anatel possui uma lista com mais o nome de outras emissoras que transmitem na Grande São Paulo de forma irregular (ver abaixo) . Segundo informações internas do próprio órgão,   a fiscalização vai seguir forte e outras emissoras podem ser fechadas ainda esse ano.
Em relatório da Anatel produzido, a partir da recomendação feita pelo MPF, sobre as rádios fiscalizadas que deslocaram suas antenas na grande São Paulo, apenas 16 não cumpriam os requisitos básicos para tal. São elas: Bandeirantes (FM 90,9) de Itanhaém, Sulamérica Trânsito (FM 92,1) de Mogi das Cruzes, Nativa (FM 95,3) e Mix (FM 106,3) de Diadema, Tupi (FM 104,1) de Guarulhos (FECHADA), Terra (FM 97,3) de Atibaia, Sê tu uma benção (FM 98,1) de Itatiba, Expressão (FM 106,9) e Scalla (FM 102,1) do Arujá, 89 (FM 89,1) e Alpha (FM 101,7) de Osasco, 106 Love (FM 105,7) e Tropical (FM 107,9) de Itapecerica da Serra, Energia 97 (FM 97,7) e Rede Aleluia de rádio (FM 99,3) de Santo André e Vida (FM 96,5) de São José dos Campos (FECHADA),.

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

105 FM tem novo comentarista

Ricardo Martins e Alexandre Praetzel,
agora juntos na 105 FM
Depois  8 anos na Rádio Bandeirantes, Alexandre Praetzel, eleito o melhor repórter esportivo de rádio de 2014 pela Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo, ficou apenas 8 dias  na Rádio Capital. Praetzel,  aceitou o convite  de Ricardo Martins, coordenador da 105 FM e  será o novo comentarista da emissora, além dos jogos irá comentar o programa as quintas e sextas-feiras. A estreia e apresentação oficial para os ouvintes irá acontecer hoje a partir das 18 horas no programa "105 Futebol Clube". Praetzel segue participando do Programa ‘Donos da Bola’ na TV Bandeirantes e no Canal fechado BandSports, no rádio irá se juntar ao comentarista Leonardo Fontes.
Infelizmente o jornalista Maurício Capela deixou a emissora, mas vai continuar como comentarista da Rede TV e com seu Blog no Estadão  (confira aqui).  
Alexandre Praetzel é jornalista desde 1992. Está na área esportiva há 24 anos. Na carreira cobriu três Copas do Mundo e acumula no currículo milhares de transmissões de eventos e jogos do Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil, Libertadores da América, Copa América, Estaduais, Regionais, Olimpíadas e outras competições.
Foto: Arquivo Pessoal

Novidades na CBN Rio e CBN Total

A partir da segunda-feira, dia 31 de agosto, Carolina Morand, âncora do CBN Total, assume o comando do CBN Rio. Octavio Guedes, que dividia seu tempo entre a direção do jornal Extra e a CBN, passará a se dedicar integralmente ao impresso, que viu nascer em 1998. “Há dois anos e meio acumulo a função de âncora com a de diretor de redação do jornal Extra. Mas as condições que, em 2013, permitiram que essa dupla função fosse possível, não existem mais. Há muitos projetos em curso no Extra e desafios que, neste momento, exigem dedicação integral. Mas não considero esta decisão um adeus, porque volto a exercer a função mais bacana do rádio: a de ouvinte. E, nesse tempo todo, tive o privilégio de testemunhar como ele é importante e valorizado na CBN", comenta Octavio. Lilian Ribeiro continuará na posição de coâncora do CBN Rio. Para o lugar de Carolina no CBN Total, irá Fernando Andrade. Todos são veteranos na CBN: Carolina entrou na emissora com estagiária, em 1998; Fernando Andrade já foi repórter e chefe de reportagem e soma 14 anos na redação de São Paulo.
Foto: Divulgação

Jairo Bouer é o novo colunista da Rádio Estadão

Jairo Bouer estreia na Rádio Estadão
A Rádio Estadão tem novidade na próxima segunda-feira (31). O médico-psiquiatra Jairo Bouer passa a ser colunista da emissora, com participações diárias durante a programação. A estreia acontece no Estadão Noite, às 21h, falando de novidades sobre sexualidade, saúde e comportamento. Além disso, o profissional terá pílulas diárias nos programas Estadão Notícias, Primeira Edição, Metrópole e Direto da Redação, de segunda à sexta-feira, com dicas e orientações sobre os mesmos temas. Jairo Bouer é formado pela Faculdade de Medicina da USP e pelo Instituto de Psiquiatria, do Hospital das Clínicas da USP. Trabalha com comunicação há 20 anos, focando seu trabalho em prevenção, saúde e sexualidade dos jovens. Já colaborou com veículos como Folha de S.Paulo, Rede Globo, MTV, TV Cultura, Canal Futura, Rede Record, SBT, Jovem Pan, 89 FM, Rádio Metropolitana, entre outros. Atualmente é colunista do jornal Estadão, Revista Época, Revista da Cultura, do UOL e da Rede Atlântida de Rádios (RS e SC). Autor de 11 livros e audiolivros, entre eles, Guia dos Curiosos Sexo (em parceria com Marcelo Duarte, Panda Books) e Sexo & Cia (Publifolha). Pela Panda Books, lançou a coleção Bate-Papo, que traz títulos como Álcool, Cigarro e Drogas, Corpo dos Garotos, Corpo das Garotas e Primeira Vez.
Foto: Divulgação

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Ricardo Boechat retorna ao dial e relata problema com depressão

Caricatura digital do âncora Ricardo Boechat
Foram duas semanas de ausência na Rádio BandNews Fm e na bancada do Jornal da Band. e o problema alegado pela emissora era que o premiado e conceituado âncora Ricardo Boechat estava fora do ar pois estava se  recuperando de um problema de saúde.  Choveram emails, telefonemas e mensagens nas redes sociais perguntando  quando ele retornava e qual era o problema? Na manhã de hoje Boechat que  tem uma rotina puxada no Grupo Bandeirantes de Comunicação fez um alerta e uma espécie de desabafo, relatou qual foi realmente o problema que o afetou e infelizmente afeta muitas pessoas no mundo inteiro. Em sua página oficial no Facebook o jornalista  deu todos os detalhes.
"Queridos amigos, o que eu tive foi um surto depressivo agudo. Minutos antes de começar o programa de rádio da quarta-feira retrasada eu simplesmente sofri um colapso, um apagão aqui no estúdio. Nada na minha cabeça fazia sentido. Nenhum texto era compreensível. Os pensamentos não fechavam e uma pressão insuportável dava a nítida sensação de que o peito ia explodir. Fiquei completamente desnorteado e achei melhor me refugiar no meu camarim e esperar socorro médico. Quando finalmente minha doce Veruska me levou ao doutor e eu descrevi o que estava sentindo ele foi categórico em dizer que era depressão. Que o estado de pânico, a balbúrdia mental, a insegurança e tudo mais eram sintomas clássicos do surto depressivo. Quem cai num quadro desses perde qualquer condição de continuar ativo, de pensar as coisas mais simples. A pessoa morre ficando viva. E eu fiquei impressionado nestes dias com a quantidade de gente que sofre do mesmo problema. Quando contei a alguns ouvintes que me ligaram o que estava acontecendo, muitos disseram já ter passado por isso, ou conhecer alguém que ainda passa ou já passou. O Barão me mostrou um vídeo produzido pela ONU indicando que esse fenômeno é global. Uma amiga minha citou números da Organização Mundial da Saúde afirmando que a depressão é a doença que mais cresce no mundo. E o Bruno Venditti me mandou um texto muito bom do pregador Élder Holland sobre o assunto. Tanto o vídeo da ONU quanto esse texto deixam claro que é importante não esconder a doença, não esconder a depressão. Não tratá-la na clandestinidade. É importante aceitá-la para combatê-la - e todo o silêncio, do próprio doente ou de quem está à sua volta, dificulta a recuperação. Essa necessidade de não fazer segredo, além da sinceridade que faço questão de manter na relação com os ouvintes, é a razão deste depoimento pessoal. O texto que eu li fala do “transtorno depressivo maior” lembrando que isso não significa apenas um dia ruim, ou um contratempo, ou momentos de desânimo ou ansiedade, que são coisas que todos temos normalmente. A depressão é muito mais que isso e muito mais séria. É uma aflição tão severa que restringe a capacidade de uma pessoa funcionar plenamente, um abismo mental tão profundo que ninguém pode achar que vai se safar apenas endireitando os ombros ou pensando coisas positivas. Não, minha gente, essa escuridão da mente e do estado de espírito é mais do que um simples desânimo. É um desequilíbrio da química cerebral, algo tão físico quanto uma fratura óssea, ou um tumor maligno. É um fenômeno que atinge todo mundo: quem perde um ente querido, mães jovens com depressão pós-parto, estudantes ansiosos, militares veteranos, idosos de uma maneira geral e pais preocupados com o sustento da família. A depressão não escolhe vítimas por seu grau de instrução ou situação econômica. Castiga sem piedade e da mesma forma pobres e ricos, anônimos e famosos. Os médicos que estão me tratando disseram que eu estiquei a corda demais, que fiz mais coisas do que deveria fazer e em menos tempo do que seria razoável. Eu fui além dos limites que minha saúde permitia e ignorei todos os sinais físicos e avisos domésticos. Quantas vezes a minha doce Veruska me disse: "Você vai pifar! Você vai pifar!"... O texto que eu li ensina que para prevenir a doença da depressão é preciso estar atento aos indicadores de estresse em sua própria vida. Assim como fazemos com nosso carro, é fundamental observar a temperatura do nosso motor interno, os limites de nossa velocidade, ou o nível de combustível que temos no tanque. Quando ocorre a “depressão por exaustão”, que foi o meu caso, é preciso fazer os ajustes necessários. A fadiga é o inimigo comum e recuperar forças passa a ser uma questão de sobrevivência. A experiência mostra que, se não reservarmos um tempo para nos sentirmos bem, sem dúvida depois teremos que dispender tempo passando mal. E foi o que aconteceu. Mas a cura existe. Às vezes requer tratamentos demorados. Mas, como está no texto que eu li, "mentes despedaçadas também podem ser curadas, assim como corações partidos". Eu sei que quem liga o rádio numa estação de notícias quer receber informações de interesse geral, quer saber da política, da economia, dos acidentes, do engarrafamento nosso de cada dia. Então peço desculpas por não entregar nada disso a vocês neste papo inicial no dia de minha volta. Nada de impeachment, de renúncia, de Cunha, de Renan, de inflação, do ajuste fiscal e de tantas outras coisas que só tem feito infernizar nossas vidas mas que são as manchetes do momento. Não falei neste bate papo nem mesmo das abobrinhas de que eu gosto tanto e que nos ajudam a cumprir a jornada diária sofrendo menos. Este papo de hoje é sobre depressão. Um mal que afeta milhões de pessoas, milhares delas no Brasil, um mal sobre o qual é preciso estar informado e não fazer segredo. Como eu agora me descobri fazendo parte dessa população doente, pensei muito nas noites sem dormir dos últimos dias e tomei a decisão de dividir essa experiência com vocês. Se com isso eu conseguir ajudar algum ouvinte a prevenir a depressão ou a curá-la, já me dou por satisfeito. E toca o barco". Finalizou o âncora de 63 anos que depois desse diagnóstico deve repensar mais uma vez  se vale a pena ter uma rotina tão puxada.

Boechat também comentou o assunto  no ar.
video
Fonte: Rádio BandNews, Facebook, Ricardo Carvalho (caricatura)

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

ESPN usa ponto de ônibus para detectar clube do torcedor

O novo posicionamento da ESPN tem como mote a frase: "Tudo pelo esporte". Seguindo essa linha, ter muita criatividade faz parte do jogo... E a tecnologia também. Quer um exemplo? A marca utilizou um ponto de ônibus em São Paulo para informar os leitores/pedestres de uma maneira totalmente inusitada. O anúncio digital fixado no mobiliário detecta a camisa do clube que a pessoa está utilizando e exibe na tela as principais notícias sobre o seu time de coração no mesmo instante. Para promover a iniciativa, o próprio painel convida os pedestres para a experiência através da frase: "Está com a camisa do seu time? Então chega mais perto". Confira o vídeo da ação:

Fonte: ADNews