quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

2017 vem aí a Nova Rádio Globo

Exclusivas 
Aos 72 anos  emissora quer ouvinte na faixa dos 27  a partir do ano que vem

Andreolli já trabalhou nas rádios
  Mix e 89 FM de São Paulo
Depois da demissão em massa ocorrida essa semana, a direção da Rádio Globo que prometeu uma "nova" rádio em 2017, está trabalhando. O que foi detectado é que a emissora de 72 anos tem que se rejuvenescer, ate visando a migração que de forma vagarosa finalmente deve sair do papel, por isso alguns gestores estão  conversando com vários profissionais para "repaginar a rádio que pode deixar de ser popular. Um nome quase certo é do jornalista Felipe Andreoli que é contratado da TV e já trabalhou em rádios na cidade de São Paulo. Andreoli de 36 anos é muito carismático e inteligente, apenar de jovem é muito experiente e tem o perfil desejado pelos atuais gestores. A ideia é que ele comande um programa em rede na faixa da manhã ou começinho da tarde na emissora, o programa terá entretenimento, humor, esporte e prestação de serviço, uma espécie de Pop Bola matinal por exemplo. O Pop Bola que hoje faz parte da grade da emissora, e tem o comando de  Alexandre Araújo tudo indica  que  deve fazer parte da nova programação. 
Fim ou mudança de horário?
 "Momento  de Fé"  pode deixar a
 programção da  Rádio Globo
Novamente surge a informação de que a permanência do "Momento de Fé", comandado há  14 anos pelo Padre Marcelo Rossi tem grandes chances de deixar a grade da emissora, outra opção é de mudar de horário. Nos últimos anos o  programa "estranhamente" vem sofrendo com muitas baixas entre os produtores e operadores, profissionais competentes e queridos pelo padre que não está gostando nada disso, internamente já mostrou a sua insatisfação com as recentes demissões. O programa religioso  tem a maior audiência da emissora e uma das maiores do segmento do rádio AM do Brasil, mas não se encaixaria nessa nova fase da Globo.  A direção segue fazendo o planejamento para o ano que vem e profundas modificações vão ocorrer. Muitos programas que eram locais, voltaram a ser rede, mais do que o lado financeiro a mudança que está sendo feita é para que o público de ouvinte popular mude com essa nova fase, isso ajudaria bastante  principalmente o  departamento comercial, setor que mais sofreu modificações  nos últimos anos. A radical reformulação que já começou  será ainda maior em 2017 em em todas as áreas da emissora,  poucos programas  devem continuar, novos formados estão chegando com novos apresentadores, afinal a emissora de 72 quer descobri a fórmula da juventude e assim chegar no público alvo na casa dos 27 anos.  
Fotos: Divulgação

Com 18 meses de salários atrasados, profissionais da Super Rádio Tupi fazem greve

Os profissionais da Super Rádio Tupi do Rio de Janeiro realizam paralisação de 24h nesta quinta-feira, 08, reivindicando o pagamento de um ano e meio de salários atrasados. De acordo com o Sindicato dos Jornalistas local, o 13º de 2015 também não foi pago, tão pouco o deste ano.Segundo apurou a reportagem do Portal Comunique-se, nenhum funcionário fará expediente na rádio hoje e os ouvintes que sintonizarem nas frequências 1280 AM e 96,5 FM ouvirão apenas sequência de músicas populares. O Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro afirma que a decisão pela greve foi tomara em assembleia realizada na tarde de segunda–feira, 5, onde estiveram presentes mais da metade dos funcionários dos cerca de 200 que atuam da emissora. O jornalistas Washington Rodrigues usou o microfone da Super Rádio Tupi na quarta-feira, 7, durante o ‘Show do Apolinho’, para informar aos ouvintes sobre a paralisação.                                                        (o     u      ç     a             a  q  u  i)
“Estamos mantendo o nível de programação da melhor forma possível no ar, mas realmente está muito difícil para todos. Estou aqui há 17 anos, nunca tive problema, mas agora estamos enfrentando um momento difícil. A tensão é muito grande, as pessoas trabalham estressadas”, disse. De acordo com o Sindicato dos Radialistas, só neste ano, o condomínio de proprietários da rádio – que é vinculada aos Diários Associados – foi convocados sete vezes para discutir o problema com os salários e ignoraram totalmente a solicitação da entidade."Além disso, foram movidas seis ações coletivas em nome de todos os trabalhadores da rádio. O SJPMRJ afirma que há, ainda, 40 processos individuais contra a empresa, pelo cumprimento dos direitos dos trabalhadores. “A precarização do trabalho dos jornalistas e radialistas, sem salários, sem tíquetes-refeição e vale transporte, não impediu que a Tupi permaneça a emissora de maior audiência no estado do Rio de Janeiro e continue dando lucro. A intenção dos funcionários é o pagamento imediato dos salários atrasados e a retomada das negociações”. A reportagem do Portal Comunique-se tentou contato com a Super Rádio Tupi, mas não obteve respostas.
Confira a íntegra das reivindicações dos profissionais nas seis ações coletivas feitas pelo Sindicato de Radialistas do
RJMulta de 40% e indenização de dano coletivo por atraso no FGTS (o FGTS foi descontado e não repassado para a previdência). Ação já transitada em julgado (não tem recurso, a empresa já perdeu), em fase de "execução" (calcular quanto deve pra cada um). Todos os funcionários da empresa são beneficiários desta ação; Danos morais para grupo de trabalhadores autônomos sem carteira assinada. Ação de maio de 2015, teve notificação publicada em 11 de novembro de 2016 e está em análise pericial (foi dada entrada, a emissora contestou, e o juiz deu prazo para verificar antes da primeira sentença); Ação de cumprimento para o pagamento da multa pelo atraso no adicional noturno de 2015 (prevista na CCT); Ação de cumprimento para o pagamento da participação de resultados (40% do salário + "abono" ou participação de R$600,00). Ação movida em 2016, a ser promulgada a primeira audiência; Ação de cumprimento para o pagamento do seguro de vida, e do PLR (atrasado em 2014 cuja multa não foi paga). A CCT vigente já previa multa para o atraso. Ação ganha em primeira instância, deferidos todos os objetos. A Tupi recorreu em 2ª instância no TRT pra protelar o pagamento; Pedido de indenização moral por atraso de salário e não reajuste no ticket refeição até hoje, conquistado pela CCT 2014. Ação de 12/2014 - o último momento em que, dentro de alguns dias, o salário dos trabalhadores esteve em dia.
Áudio e fotos: Rádio de Verdade

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Gil Gomes está de volta ao rádio

O maior repórter policial do país, agora fala
 de futebol  na rádio Trianon
 
Um dos repórteres mais famosos do jornalismo brasileiro está de volta às ondas do rádio. Gil Gomes, que marcou época com programas policiais, agora fala de esportes e é colunista do programa Paixão Lusa da Rádio Trianon. Torcedor assumido da Portuguesa de Desportos, ele participa do programa às segundas, quartas e sextas-feiras para falar sobre o Clube do coração. Sua estreia aconteceu no último dia 21 e foi bem recebida pelos ouvintes e torcedores. O Paixão Lusa é um programa diário apresentado por Antônio Quintal, Claudia Alves e Don Roberto Costa, a partir das 20 horas.
Foto: Arquivo Pessoal

RIP RÁDIO

Gestores ruins,  planejamentos errados e
demora  na   migração  estão  matando rádio
Somando BH, SP e RJ Foram demitidos pelo SGR aproximadamente 70 profissionais, Assustado? Então veja esses números, em 2016 a lista passa fácil de 100 pessoas. Não tenho os números certo das outras empresas das Organizações Globo, mas com certeza o número de demissões não chega a 15%. Se sormar as demissões feitas pelos  grandes grupos de Comunicação de rádio em BH, SP, RJ e RS  ele sobe para  250 profissionais na rua. Por isso afirmo  que não é só a crise que assola o país, mas a falta de gestores competentes e preparados que vivam influencia sim no aumento significativo desses números se compararmos com as demissões em anos anteriores. 
Ahh mais o Rádio está falido Cheni! Ok posso até concordar em partes, mas colocar uma tabela de venda com preços parecidos da TV ou semelhantes do FM é certo? Investir em reformas caríssimas, absurdas e desnecessárias  em estúdio ou no  prédio alugado  durante esses anos de crise, precisava? Qual o motivo de não ter uma auditoria nesse período?  Pagar milhões para tirar um profissional de outra emissora em tempos de crise é uma medida certa? Investir em tecnologia e não saber usá-la afastando o ouvinte de plataformas digitais mais fáceis e acessíveis é ou não corre na contra a mão impondo  aplicativos próprios?
Administrar uma empresa com responsabilidade e coerência  é para poucos, não basta  ter MBA, se o CEO é poliglota e nunca falou na latinha ou muito menos sabe como funciona o rádio. Exemplo de boa gestão é da TV, mas a rádio não é a mesma empresa? No Rio de Janeiro a Globo está no FM assim como a Tupi que é líder e está bem pior que a Globo, além disso a "Super" Tupi virou modelo de como acabar com uma história de um empresa/rádio. Isso sem contar que a TUPI demite,  não paga e quem opta em permancer em sua maioria está sem receber há meses. Gestões passadas desastrosas assim como as atuais são apadrinhadas por caciques políticos ou  gestores patronais ao exremo que não se importam há anos com a qualidade do conteúdo e do profissional  recém formado que não tem em quem se espelhar dentro das redações pois os mais experientes  já saíram e o chefe que é esportista tem um ótimo relacionamento com o dono, mas não entende "bulhufas de rádio" e isso pouco importa nesse momento. Esses são alguns motivos que revoltan os profissionais da Tupi e quem gosta do verdadeiro rádio que não existe mais, por isso a greve  que se discute por lá é mais que necessária. Demitem e aumentam a carga horária de toda uma redação, parte técnica etc.. E os Sindicatos fazem o que? #cheninocampo #ripradio

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Em carta para Gandour, jornalistas da CBN pedem “escala humana” de trabalho

Redação Comunique-se
Na carta, 24 jornalistas pedem condições dignas de trabalho
Profissionais da CBN São Paulo enviaram carta ao diretor executivo da rádio, Ricardo Gandour, pedindo a reversão do modelo atual de escala de trabalho e folgas da redação. “A prioridade é de que seja estabelecida escala que continue de acordo com a legislação e atenda à demanda da redação. Uma escala humana, que respeite a nossa dignidade”, dizem os funcionários.   A carta é assinada por 24 jornalistas que propõem diálogo aberto e constante sobre o assunto. Segundo eles, foram feitas três propostas de novas escalas de trabalho, todas refutadas pelo departamento jurídico, RH e direção de jornalismo da emissora. Os profissionais salientam que enquanto, em média, o trabalhador brasileiro tem cerca de 150 dias de descanso anuais, eles possuem apenas 97 – levando em consideração os dias de férias. Segundo o texto enviado a Gandour, o modelo de trabalho seguido pela rádio permite que os colaboradores da rádio folguem apenas um fim de semana inteiro a cada cinco finais de semana de trabalho, o que tem provocado cansaço, estresse e agrava a condição de vida dos jornalistas. Além disso, dos oito principais feriados deste ano, os profissionais trabalharam em pelo menos seis. “Há turmas que passaram o ano sem folgar em nenhum feriado. Só conseguiram folgar agora, no feriado da Proclamação da República, por conta de um ajuste feito pela chefia – que trocou a ordem dos plantões –, o que, aliás, deixou outra turma sem folga dupla durante seis finais de semana seguidos”. O documento destaca, ainda, que o desgaste e o esgotamento dos profissionais vêm em momento em que se acumulam dois anos sem reajustes salariais. Segundo eles, a empresa se recusa sequer a recompor a inflação do período. “O reajuste de 10,94% dos salários, retroativo a dezembro de 2015, foi determinado pelo Tribunal Regional do Trabalho, mas até agora não foi concedido”, declaram. Para que o tema seja discutido com urgência, os integrantes da redação da CBN São Paulo pediram reunião, no prazo máximo de duas semanas, com a direção da rádio e com todos os departamentos que precisem ser envolvidos nessa mudança como RH e jurídico. “Estamos reféns de modelo em que é impossível fazer qualquer programação ou planejamento para duas semanas além da que estamos. Ao adotar e reafirmar a escala atual, a CBN vai na contramão do que há de mais moderno, atual e arejado nas relações de trabalho”, dizem os jornalistas. 
Intervenção do Sindicato 
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) informou que realizou negociações com a CBN, no início de 2016, para buscar a manutenção da escala de 3 x 1 no fim de semana – ou seja, um trabalhado e três de folga –, mas que não houve acordo. “Agora, depois de quase um ano, a carta demonstra como as condições de trabalho pioraram ao ponto de prejudicar seriamente os profissionais e seu próprio trabalho”, disse a entidade. Diante da carta enviada à direção da empresa, o SJSP anuncia apoio aos profissionais da emissora, na luta por escala de trabalho correta, que preserve no mínimo as condições que já eram praticadas na CBN antes do atual sistema ser adotado. A redação do Portal Comunique-se tentou contado com o Sistema Globo de Rádio, mas não obteve resposta.
Foto: Divulgação

Conforme antecipado parte ll



Demissões em massa no SGR  em SP e RJ

Experiente jornalista, Osvaldo Pascoal foi
 comentarista, coordenador e repórter na Globo SP
A onda de cortes  que começou ontem no Sistema Globo de Rádio que dizimou a Globo Minas, segue nessa terça-feira. Em São Paulo foram dispensados nessa manhã o comentarista Osvaldo Pascoal, o repórter e apresentador Maércio Ramos o popular "Morcegão" que comandava o "Toda Noite", o repórter esportivo e atual chefe de reportagem Jesse Nascimento ( o repórter mais mais tempo no departamento de esporte) e o bom e promissor  produtor Guilherme Cimatti. Com exceção de Cimatti, todo os outro profissionais estavam na emissora há mais de 14 anos.  A parte técnica não contará mais com o chefe de externa   Mauro de Lima o popular "Meto
O nome do narrador Evaldo José
 também apareceu na lista 
Bala" com mais de 35 anos na emissora, além do produtor  Mário Duarte que trabalhava com o Padre Marcelo Rossi.  no "Momento de Fé". Ainda na área técnica em São Paulo deixaram a emissora Osmar Guerreiro, Armandino Corbal o popular Alemão , Valter Tadeu, João Amaral e Hélio Carlos,  infelizmente poucos operadores permaneceram.

Os cortes foram feitos em vários setores da empresa em São Paulo,  no Rio de Janeiro foram dispensados: Diana Rogers, Silvana Maciel, Ceci Mello, Marco Antônio de Jesus e o narrador Evaldo José que escreveu em sua página na internet: Agradecer e ...seguir! Orgulho de ter integrado o timaço da CBN que durante mais de uma década transmitiu jogos nos estádios por esse mundão afora. Do traço na audiência para uma consolidada terceira posição. Errei. Aprendi. Cresci como gente e como profissional. Fiz muitos amigos. Maior ganho desse tempo tão especial. Sem mágoas. Apenas gratidão! Força para todos os colegas. Os que saem e os que ficam. Você, a bola e eu!.  Outros funcionários do
Após quatro meses a repórter
 Carla Matera deixa o SGR
departamento de esportes  do Rio de Janeiro que saíram: O narrador Leandro Lacerda,  o comentarista Felipe Cardoso e a repórter Carla Matera que voltou aos SGR há pouco tempo, foram apenas  quatro meses na emissora, deixando claro a falta de organização e planejamento dos novos gestores. Uma das poucas confirmações feita pela empresa nesse dia triste para o jornalismo esportivo é que o
 Programa "Show do Antônio Carlos" que era em rede e passou a ser regional volta a ser em rede ( olha o tamanho da bagunça e desorganização) O mesmo pode ocorrer com outros programas da emissora.
O comunicador Alexandre Ferreira foi comunicado no final da tarde que também estava fora da Rádio Globo (veja postagem ao lado) . Tudo isso dias depois da emissora completar 72 anos de existência, data comemorada no  último dia 2 de dezembro. Segundo a nova diretoria essas mudanças estão acontecendo para a implantação da "nova" Rádio Globo.
Fotos: Divulgação GloboSP  e Facebook

Atualizado 19:00










Assessores do Santos FC recebem premiação


 Fúlvio Feola,  Fúlvio Stefanini e Fabiano Farah,
premiados pela ANCEC
O Santos FC foi premiado pela Agência Nacional de Cultura, Empreendedorismo e Comunicação, a ANCEC, no clube Piratininga, em São Paulo. Uma bancada formada por membros da Academia Brasileira de Letras, Atores, Atrizes e personalidades empresariais participaram da bancada que premiou triplamente o Alvinegro. Fúlvio Feola foi eleito o melhor Assessor de Imprensa com função estratégica dentro do clube e foi condecorado com a Medalha de Honra ao Mérito Mario Filho. “ Gostaria de dizer que estou muito feliz pelo prêmio e agradeço aos membros da ANCEC. Estamos acostumados a nos doar à profissão, abrindo mão do convívio dos familiares para nos dedicar totalmente para nossa profissão. O prêmio pode estar comigo, neste momento, mas é fruto de um trabalho de todo o Departamento de Comunicação do Santos FC.”, declarou Feola. Alexandre Prieto foi condecorado com o Selo de Referência Nacional pelo trabalho como Coordenador Artístico e de Programação da Rádio Santos FC, eleita a melhor rádio de clubes de futebol do país. “Vale lembrar que tudo isso nós devemos ao Santos FC que nos proporcionou criarmos este projeto que foi reconhecido como um case de sucesso . Em 1 ano e quase 4 meses são mais de 18 milhões de ouvintes. Nossa equipe é coesa, simples e cada um executa sua função com amor e dedicação ao alvinegro mais famoso do mundo. Uma premiação que divido com todo o clube e agradeço à presidência por nos dar esta oportunidade.”, disse Prieto, emocionado. Fabiano Farah iniciou a gestão Modesto Roma Júnior como Gerente Executivo de Comunicação em 2015 e em 2016, conforme planejado, passou a atuar diretamente ligado a parte de comunicação e marketing do mandatário santista. Fabiano recebeu o Selo de Referência e Qualidade Nacional pelo trabalho realizado ao Presidente Modesto Roma Júnior. “É a terceira vez que recebo uma premiação desta agência reconhecida nas Américas. Foi um prazer dividir o palco e a premiação com atores e atrizes de renome internacional como Antônio Fagundes, Fúlvio Stefanini ,Nathália Thimberg e Grace Gianoukas. Mais um dia especial para todos nós do Santos FC.”, finalizou Fabiano, que recebeu a premiação em março de 2015, quando ganhou o Selo de Referência e Qualidade em Comunicacão Nacional por mudar completamente o sistema de atendimento à imprensa no Santois FC e em novembro do mesmo ano como melhor gestor de Comunicação dos clubes de futebol da Série A do Brasileirão. PRÊMIO NELSON RODRIGUES Fúlvio Stefanini foi premiado com a Outorga Nelson Rodrigues e relembrou o encontro com o Presidente do Santos FC , Modesto Roma Júnior. “ Tenho uma casa na cidade de Guarujá, litoral de São Paulo, e tive o prazer de conhecer o Modesto pessoalmente. Uma pessoa incrível. Aproveito o espaço para cumprimentá-lo pela excelente gestão administrativa e financeira no Santos. Não é para qualquer um.”, elogiou Stefanini. Nathália Thimberg revelou, após também receber a Outorga Nelson Rodrigues,que é torcedora do Santos FC. “ Sou da época onde tínhamos dois times e um dos meus é o Santos FC. Fico muito honrada com o reconhecimento da ANCEC e também por conversar com vocês do Santos FC.”, revelou a atriz. Grace Gianoukas, que tem 33 anos de profissão, disse que ficou emocionada pelo recebimento e reconhecimento da outorga Nelson Rodrigues. Grace, que direcionou sua carreira para o teatro e recentemente migrou para a televisão fez questão de dizer que sempre vai para a cidade de Santos e por um motivo especial. “ Quando vou para Santos faço questão de passar e sentir a atmosfera do Estádio Urbano Caldeira, a Vila Belmiro. Fiquei muito feliz pela festa dos 100 anos do estádio onde grandes craques passaram, passam e vão passar. Todos nós temos o Santos FC no coração. Um grande beijo aos torcedores do Santos.”, contou Grace. 
SOBRE A ANCEC 
A Agência Nacional de Cultura, Empreendedorismo e Comunicação (ANCEC), instituição responsável pelo Premio Referência Nacional & Qualidade Empresarial, tem como objetivo valorizar e reconhecer a arte, cultura e empreendedorismo no País. Todos os homenageados da classe empresarial passam por processo de pesquisa para que possam ser referência, após indicação de um membro da ANCEC. O selo referência nacional é entregue, todos os anos, em três unidades da federação: Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. A ANCEC reconhece a artes cênicas com o Troféu Nelson Rodrigues, a música com a medalha Renato Russo e a medalha Nelson Gonçalves, o esporte e a comunicação com a Ordem do Mérito do Esporte e do Jornalismo Mário Filho, a sociedade com o troféu Chico Xavier e o reconhecimento do mérito cívico e empreendedor com a outorga da Medalha Presidente Juscelino Kubitschek em parceria com a Federação das Academias de Artes e Letras do Estado de São Paulo (Falasp). A ANCEC também desenvolve projetos culturais e sociais, o ultimo realizado foi a peça “O Beijo no Asfalto”, de Nelson Rodrigues, com direção de Marco A. Braz, que ficou em cartaz em 2015, no Rio de Janeiro e em São Paulo. Para 2017, a Agência prepara a produção do espetáculo “Bonitinha, mas Ordinária” também de Nelson Rodrigues, com direção de Luis Artur Nunes e participação de Marcos Breda e Stella Portieri, que viverá a protagonista já vivida por Lucélia Santos e Leticia Colin nos cinemas.
Foto: Divulgação