Rádio esportivo da Argentina goleia o Brasileiro quando se fala de respeito e credibilidade

Apenas GLOBO/CBN de SP enviou
 repórter ao Mineirão
Copa do Brasil, Libertadores, Copa Sul-Americana, Campeonato Brasileiro e por aí . São várias competições nacionais e intercontinentais todos os anos. E uma das opções pra acompanhar os jogos são as emissoras de rádio. Tradicional ou web, o que vale é acompanhar as informações, mas como saber se o repórter da rádio da sua cidade vai acompanhar mesmo o seu time lá na outra cidade ou em outro país? Como saber se ele está trabalhando coma mesma imagem que você na sala de sua casa? Com a tecnologia dá pra distinguir quem é quem nas transmissões de rádio... quem está lá no campo do jogo. A ABRACE (Associação Brasileira dos Cronistas esportivos) está disponibilizando em seu site (veja aqui)  quais são os profissionais de todas as áreas que estão credenciados nas partidas aqui no Brasil. 
O mesmo aconteceu em Santos em
relação as emissoras cariocas
A entidade obtém os dados via CBF e Associações estaduais e coloca no site. Dessa maneira dá pra perceber que o rádio do Brasil (lei-se diretores), estão economizando muito, essa verba muitas vezes é utilizada em publicidade ou em outros departamentos, isso deixa a transmissão mais pobre e muitos anunciantes e ouvintes nem percebem que essa economia na maioria das vezes é burra.
Emissoras de Minas Gerais levaram mais
a sério o jogo fora de casa
Claro que fazer todos os jogos n do local vai aumentar consideravelmente os custos, mas em reta final de competição ela é desnecessária e a "crise" que abala o país vira muleta para esses diretores, coordenadores etc... O grande exemplo de que o rádio do Brasil está pobre e respira por aparelhos á a comparação que o blog faz com a Argentina. País vizinho que passa por uma crise econômica muito maior que a nossa segue investindo na informação, na força do rádio, tanto é que um time modesto e de pouca expressão como Defensa Y Justicia de Buenos Aires envia ao Brasil nada mais que 21 profissionais de 6 emissoras de rádio ( equipes completas) para acompanhar o jogo contra a Chapecoense em uma segunda fase de uma competição que não é a Libertadores e sim a Copa Sul-America.   Na Argentina o rádio esportivo  é valorizado, levado a sério e principalmente, o ouvinte é respeitado seja com time A, B ou C. Por lá o rádio em am ou fm segue forte. Já por aqui.........


CREDENCIAMENTO IMPRENSA ARGENTINA - BRA X DEFENSA Y JUSTICIA - ARG 2ª RODADA -  25/07/2017 – ARENA CONDÁ – CHAPECÓ/SC – BRASIL 
Rádio Barriada  foi uma das seis emissoras
de rádio que estiveram em Chapecó
1- EMPRESARIA 92.5 FM – BUENOS AIRES/ARG (3) Claudio Blanco - Narrador – Gustavo Moyano - Comentarista e Osvaldo Molina – Repórter. 
2- RÁDIO ESTACIÓN SUR FM – BUENOS AIRES/ARG (3) Nestor Ezequiel Lamagni - Narrador – Néstor Cáceres - Comentarista – Hugo Lamagni – Téc. de Externas. 
3- RÁDIO GBA 96.5 FM – BUENOS AIRES/ARG (5) Marcelo Tosoni - Narrador,Mario Tevez - Comentarista, Miguel Ramirez - Repórter, Jorge Gomez - Repórter e Juan Antonio Tosoni – Téc. de Externas.
4- RÁDIO LA BARRIADA FM – BUENOS AIRES/ARG (4) Raúl Bieber - Narrador, Emiliano Contreras - Comentarista, Maximiliano Griego - Repórter e Carolina Scotti - Repórter. 
5- RÁDIO PASION FM – BUENOS AIRES/ARG (4) Marcos Sittner - Narrador, Carlos Iriarte - Comentarista – Edgardo Gómez - Repórter – e Gabriel Escobar – Técnico Externas. 
6- RÁDIO RIVADAVIA – BUENOS AIRES/ARG (2) Guillermo La Greca - Narrador e Armando Silvariño – Repórter.
Fotos: ABRACE e Rádio Barriada

Postagens mais visitadas