sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Sindicato confirma nova paralisação dos funcionários da Super TUPI

Em sua página na internet o Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro confirmou que muito  provavelmente  caso não tenha um acordo, a Super Rádio Tupi  deve ter uma nova paralisação, dessa vez será de 48 horas. Confira o comunicado oficial:
SEM SALÁRIO, NÃO VAI TER TUPI 
Mais uma vez as trabalhadoras e trabalhadores da Rádio Tupi se unem pra mostrar sua força. Agora, por 48 haverá paralisação total das atividades! . Como todos sabem, a greve é o último recurso do movimento trabalhista, não é necessária quando há respeito e diálogo por parte dos patrões. Infelizmente, esse não é o cenário na Tupi... O fim de ano se aproxima e os quase 200 radialistas, que fazem a empresa a cada dia, continuam sem ter perspectiva do seu 13º do ano anterior. . Você que escuta a Tupi, seu apoio também é fundamental! Fortaleça esses trabalhadores, divulgue a paralisação! Será nos dias 19 e 20 de dezembro. Logo após, às 14h do dia 21, haverá assembleia geral para fazer um balanço da ação e pensar os próximos passos. #VemComSeuSindicato
Primeira paralisação aconteceu no último dia 8 e durou 24 horas

Segundo os funcionários da emissora, ainda não aconteceu o pagamento do 13º salário do ano passado e nem as parcelas deste ano. E os salários de todos estão atrasados há 4 meses. “Estamos num dos melhores momentos de audiência e o comercial está até vendendo… Mas a direção pega a receita e distribui para outras empresas do grupo ‘Associados’ e a gente fica sem nada”, desabafou um locutor ao jornalista Sidney Rezende do Portal  Srzd. De fato, a audiência da rádio “Tupi” está boa. No último Ibope, de outubro, no consolidado, a liderança no Rio fica com a “Melodia”; em segundo, “FM O Dia” e, logo em seguida, a ‘Tupi’. Os atrasos de pagamentos alcançam tanto os contratos de pessoas físicas, como jurídicas. A maior reclamação dos funcionários é a falta de informação por parte da direção da empresa. “Eles não chamam a gente para conversar, não fazem planejamento. Veja o caso do Sistema Globo de Rádio, eles estão demitindo, mas indenizam. A gente nota que houve planejamento”, desabafou um comunicador. Perguntado sobre os riscos de a paralisação sofrer retaliação, um veterano disse que não dá para ter medo, pois, segundo ele, “tem gente passando fome e tenho que olhar a situação dos colegas. Não dá mais. Eu amo o rádio, sustentei minha família a vida inteira com o que ganho neste veículo. Sou apaixonado pelo Rádio, mas a situação ultrapassou todos os limites”, disse o funcionário que pediu anonimato.