terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Em carta para Gandour, jornalistas da CBN pedem “escala humana” de trabalho

Redação Comunique-se
Na carta, 24 jornalistas pedem condições dignas de trabalho
Profissionais da CBN São Paulo enviaram carta ao diretor executivo da rádio, Ricardo Gandour, pedindo a reversão do modelo atual de escala de trabalho e folgas da redação. “A prioridade é de que seja estabelecida escala que continue de acordo com a legislação e atenda à demanda da redação. Uma escala humana, que respeite a nossa dignidade”, dizem os funcionários.   A carta é assinada por 24 jornalistas que propõem diálogo aberto e constante sobre o assunto. Segundo eles, foram feitas três propostas de novas escalas de trabalho, todas refutadas pelo departamento jurídico, RH e direção de jornalismo da emissora. Os profissionais salientam que enquanto, em média, o trabalhador brasileiro tem cerca de 150 dias de descanso anuais, eles possuem apenas 97 – levando em consideração os dias de férias. Segundo o texto enviado a Gandour, o modelo de trabalho seguido pela rádio permite que os colaboradores da rádio folguem apenas um fim de semana inteiro a cada cinco finais de semana de trabalho, o que tem provocado cansaço, estresse e agrava a condição de vida dos jornalistas. Além disso, dos oito principais feriados deste ano, os profissionais trabalharam em pelo menos seis. “Há turmas que passaram o ano sem folgar em nenhum feriado. Só conseguiram folgar agora, no feriado da Proclamação da República, por conta de um ajuste feito pela chefia – que trocou a ordem dos plantões –, o que, aliás, deixou outra turma sem folga dupla durante seis finais de semana seguidos”. O documento destaca, ainda, que o desgaste e o esgotamento dos profissionais vêm em momento em que se acumulam dois anos sem reajustes salariais. Segundo eles, a empresa se recusa sequer a recompor a inflação do período. “O reajuste de 10,94% dos salários, retroativo a dezembro de 2015, foi determinado pelo Tribunal Regional do Trabalho, mas até agora não foi concedido”, declaram. Para que o tema seja discutido com urgência, os integrantes da redação da CBN São Paulo pediram reunião, no prazo máximo de duas semanas, com a direção da rádio e com todos os departamentos que precisem ser envolvidos nessa mudança como RH e jurídico. “Estamos reféns de modelo em que é impossível fazer qualquer programação ou planejamento para duas semanas além da que estamos. Ao adotar e reafirmar a escala atual, a CBN vai na contramão do que há de mais moderno, atual e arejado nas relações de trabalho”, dizem os jornalistas. 
Intervenção do Sindicato 
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) informou que realizou negociações com a CBN, no início de 2016, para buscar a manutenção da escala de 3 x 1 no fim de semana – ou seja, um trabalhado e três de folga –, mas que não houve acordo. “Agora, depois de quase um ano, a carta demonstra como as condições de trabalho pioraram ao ponto de prejudicar seriamente os profissionais e seu próprio trabalho”, disse a entidade. Diante da carta enviada à direção da empresa, o SJSP anuncia apoio aos profissionais da emissora, na luta por escala de trabalho correta, que preserve no mínimo as condições que já eram praticadas na CBN antes do atual sistema ser adotado. A redação do Portal Comunique-se tentou contado com o Sistema Globo de Rádio, mas não obteve resposta.
Foto: Divulgação