segunda-feira, 25 de abril de 2016

Rádio Nacional contrata terá reforço de peso

Sidney Rezende assina contrato com a EBC
No próximo dia 4 de maio, os ouvintes têm encontro marcado nas manhãs de segunda a sexta com o âncora Sidney Rezende no programa "Nacional Brasil", que será transmitido pela Rádio Nacional, emissora da Empresa Brasil de Comunicação, e grande rede associada. O nome foi escolhido pelo próprio apresentador. "'Nacional', para valorizar a emissora que completa 80 anos neste ano. E 'Brasil', para homenagear nosso país", explica. O slogan também foi ideia de Rezende: "Respeito à sua forma de pensar". Nada mais democrático nestes tempos de acirramento ideológico. "O programa será gerado do Rio de Janeiro [AM 1.130KHz] para São Paulo, Brasília [FM 96,1MHz e AM 980KHz] e região amazônica [AM 11.780KHz, AM 6.180 KHz, AM 670KHz e FM 96,1MHz]. Várias rádios do Brasil inteiro poderão se incorporar", explica o apresentador, que estará no ar de 7h às 10h. Sobre seu recomeço na rádio, Rezende explica: "Primeiro estou cumprindo a minha palavra quando disse que retornaria para concluir meu ciclo radiofônico". Depois de fazer o primeiro programa jornalístico do rádio brasileiro, "Panorama Brasil", montar a primeira rádio All News do país (CBN) e participar de tantas renovações no veículo mais tradicional do mundo, chegou a vez de Sidney empreender novamente. Segundo ele, "o desafio de sempre é unir os ouvintes em torno de um cardápio de informação isenta, plural, bem apurada e construtiva adequada ao momento que vive a jovem democracia brasileira".  O novo diretor-geral da empresa, Pedro Henrique Varoni, abraçou a ideia de contratar o jornalista desde o primeiro minuto que assumiu seu cargo: "A chegada de Sidney Rezende nos 80 anos da Rádio Nacional vem reforçar o compromisso da EBC com o jornalismo plural, capaz de contribuir para o debate da sociedade nesse momento da história do país. Sidney, com sua trajetória e credibilidade, se soma à equipe de radiojornalismo das emissoras da EBC para ser o mediador de novas vozes no debate, dentro dos compromissos de isenção e autonomia da comunicação pública". Estrear em uma rádio pública com o clima de instabilidade política no país não é para qualquer um. Para Rezende, "o desafio é realizarmos rápido um modelo que pela competência possa transcender o tempo e continuar sendo gerado independentemente da ideologia dos partidos políticos que estejam no poder. Por isso público e de estado, e não de governo. Mas para que isso de fato se realize, precisaremos contar com a equipe experimentada e competente da Rádio Nacional, segmentos talentosos da EBC e profissionais que incorporaremos ao projeto". Em "Nacional Brasil", política, economia, cultura, carnaval, esportes e atualidades serão os assuntos abordados. "Teremos comentaristas consagrados e um grupo de repórteres espalhados pelo país. Vamos ter ainda correspondentes no exterior e um boletim da Rádio França Internacional", explica Sidney. Haverá ainda um personagem principal nos programas: o ouvinte. "No 'Nacional Brasil', o ouvinte irá falar, debater, dar opinião, questionar o âncora e entrevistar as personalidades convidadas".
Foto: Divulgação