segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Demissão em massa e mudança na programação da Rádio Estadão

A redação ficou  vazia após
o anuncio das demissões
Conforme antecipado na semana passada, a Rádio Estadão muda a partir de hoje a  sua programação. A direção da emissora  convocou os funcionários por email no final de semana para reunião  que aconteceu agora pela manhã, segue email: 
"Caro, Na próxima segunda-feira, realizaremos uma Reunião Geral de Alinhamento da Rádio Estadão, ocasião em que abordaremos nossos resultados e a evolução do negócio.
Para tanto, solicito  sua presença na sede do Estadão – prédio administrativo, 6o andar – na Sala Cecilia Mesquita, às 9 horas da manhã de segunda, dia 05 de outubro. Sua presença será muito importante. Obrigado - Acácio Costa".
Na reunião o que muitos infelizmente esperavam aconteceu....  a maioria dos funcionários da rádio foram demitidos, alguns com registro em carteira, e outro Pessoas Jurídicas: Geraldo Nunes (grande profissional e um dos poucos remanescente da rádio Eldorado), Roxane Ré, Sergio Quintella ( no ano passado foi o único repórter que conseguiu entrevistar o Roger Abdelmassih - médico foragido da polícia e esse ano entrevistou também com exclusividade Andreas Von Richthofen), Vinícius França, Weber Lima , Marcel Naves,  entre outros bons  e competentes profissionais deixaram a emissora em virtude  do remanejamento, ou  se preferir falta de competência administrativa. Segundo relatou um funcionário ao blog que pediu anonimato, o que mais revoltou foram as explicações da "chefia" e  teve até bate boca no comunicado coletivo. Esse funcionário afirmou também que em dezembro novas demissões devem ocorrer e que muitos dos demitidos temem não receber corretamente suas respectivas rescisões de contrato.  Pra se ter uma ideia do tamanho das demissões, ficaram apenas 13 pessoas, sendo 10 jornalistas e 3 chefes, quando a emissora chegava a ter mais de 70 funcionários em seu quadro. A falta de respeito atingiu também os ouvintes pois acreditem, há nove rodadas do fim do campeonato brasileiro e na reta final da Copa do Brasil,  os poucos funcionários do departamento esportivo foram também dispensados.
Além das demissões ou se preferir remanejamento ou mudança de postura, O Grupo Estado que se gabou em investir milhões de reais nos últimos cinco anos diminuiu drasticamente seu quadro de funcionários no jornal "O Estado de São Paulo" em 31 de outubro de 2012 encerrou as atividades do Jornal da Tarde após 46 anos,   e esse ano vendeu o seu canal em amplitude modulada para a igreja da Graça, a direção mesmo assim segue negando a venda do canal em frequência modulada.
Durante a reunião com jornalistas, radialistas e operadores o diretor Acácio Costa, que promoveu mudanças e demissões em várias outras emissoras por onde passou declarou estar  com o "coração partido" ao ler o nome dos poucos funcionários que iriam permanecer.   A jornalista Paula Marinho, que é muito bem relacionada com seus subordinados continua na chefia, mas perdeu a grande oportunidade de ficar em silêncio, ao pedir a palavra tentar justificar  a situação, Paula sem querer  acabou quebrando o gelo diante de um clima tenso ao afirmar  que infelizmente as demissões foram antecipadas em virtude do vazamento de informações  e aproveitou para "culpar" esse blog e seu editor. Fato é claro que gerou risos e piadas entre os funcionários demitidos. 
O Sindicado dos Jornalistas do Estado de São Paulo já está a par das demissões e deve se manifestar de forma oficial ainda hoje.

Segue a nota oficial do Grupo Estado. 

Com o "coração partido", o diretor Acácio Costa
 anunciou as demissões na emissora
A partir de hoje A Rádio Estadão (92,9 FM) estreia nova grade de programação a partir de hoje, segunda-feira (5). O jornal matutino “Estadão No Ar Primeira Edição” ganha mais uma hora de exibição e vai ao ar entre 6h e 10h, de segunda a sexta-feira, com os âncoras Haisen Abaki e Alessandra Romano e um time de colunistas formado por Eliane Cantanhêde, Sonia Racy, José Roberto Mendonça de Barros, Alexandre Garcia, Luiz Antonio Prósperi, Gustavo Loyola, Paulo Saldiva, coronel José Vicente, entre outros. A partir desse horário, a emissora mesclará notas informativas e música de boa qualidade ao longo do dia. Às 20h, entra no ar o “Estadão Noite”, um programa musical com 4h de duração. “Essa é a nova estratégia da Rádio Estadão para oferecer ao público qualificado paulista uma combinação única de informação e música de qualidade, ocupando assim um posicionamento diferenciado de todas as demais FMs”, diz Acácio Costa, diretor geral da emissora do Grupo Estado.


Muitos ouvintes  foram pegos de surpresa, e fizeram questão de registrar sua revolta na página oficial da emissora no Facebook.
Janaina Lima: "Se é para ouvir músicas colocamos na Rádio Eldorado ( outra emissora do Grupo) , certo? A diferença da Estadão eram os programas e apresentadores...Agora está mais para qualquer FM por aí".  A ouvinte Palma Polese escreveu: Lamentável........Infelizmente lamentável. Uma verdadeira falta de respeito para conosco. Por mim: Conduta desaprovada. e por aí seguiram outros comentários negativos.

atualização 15 horas

Foto: Comunique-se