quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Prestação de serviço fortalece o rádio

Dados do IBOPE comprovam a força do rádio

O rádio ainda é um meio forte no Brasil. Levantamento do Ibope Media, realizado entre janeiro e março deste ano com 41.033 pessoas em 13 regiões mostra que o rádio é ouvido por 89% dos brasileiros. De um total de 52 milhões de ouvintes, 53% são mulheres e 47% homens. O conteúdo preferido de um ouvinte é notícia e prestação de serviço, consumido por 65% da audiência, em segundo lugar, está a música, preferência de 47%, seguida de conteúdo religioso, 19%, esportes, 18%, variedades e humor, 18%, opinião, 11% e participação de ouvintes, 7%. A maioria dos ouvintes ainda ouve o rádio pelo aparelho comum, cerca de 65%, no automóvel o dial é o preferido de 24% e 16% ouvem no celular e smartphone. A internet é o meio que divide a atenção com o rádio. 21% dos ouvintes acessam a internet e ouvem rádio simultaneamente. Já 17% dividem seu tempo entre rádio e TV, 17%. E 14% escuta o rádio lendo jornal ou revista. Dos 13 mercados pesquisados, todos possuem penetração acima de 85% sendo Fortaleza e Belo Horizonte com o maior alcance, 94%. No fim do ano passado, uma pesquisa do Ibope Media mapeou os hábitos de consumo de rádio entre a população brasileira, porém, com um maior período. Os dados, coletados de julho de 2012 a agosto de 2013, apontavam que 90% dos brasileiros são ouvintes de rádio. Além disso, para 70% desse público o meio é uma alternativa de entretenimento. A pesquisa também mostrou que os ouvintes dedicam, em média, três horas e 51 minutos por dia para ouvir rádio. O período que registra a maior audiência é por volta de 10h. Grande parte do público ainda prefere ouvir músicas e notícias no conforto do lar. Para 53% dos entrevistados, o local em que mais ouvem rádio é em casa. O restante já o faz no trabalho ou via celular. A busca por informação é outro anseio do ouvinte de rádio. Metade dos pesquisados declarou ouvir notícias diariamente e 55% deles dizem confiar plenamente no meio para se informar acerca do cotidiano. Já no lado do entretenimento, a pesquisa evidenciou as múltiplas preferências musicais dos brasileiros. Para 50% dos entrevistados, o maior consumo no rádio é do estilo sertanejo. Na sequência, aparece a MPB, ouvida por 41% dos pesquisados. Em terceiro lugar ficaram os sucessos nacionais (as canções que figuram entre as mais pedidas das emissoras), com 38%; samba e pagode, com 37% e hits internacionais, com 33%. Receita do Rádio O Projeto Inter-Meios, de Meio & Mensagem, que traz dados completos de investimento em mídia no Brasil, mostra que, em 2014, o Rádio recebeu 6,7% de toda a receita do mercado somando um total de R$ 2.664 bilhões, alta de 1,8% em relação a 2013.
Mais informações e dados clique aqui 1 2 3
Fonte e foto: IBOPE e  Meio e Mensagem