segunda-feira, 28 de abril de 2014

Diguinho Coruja volta ao rádio dia 1º de maio

Tropical deve aumentar a sua audiência
com a chegada de Diguinho
Depois de dois meses fora do dial, o comunicador Diguinho "Coruja" confirmou a sua volta ao rádio, a partir do dia 1º de maio ele passa a comandar as madrugadas da Tropical FM 107.9 MHz de São Paulo. Diguinho ficou quatro anos na da Band FM, sendo a maior parte como líder de audiência na madrugada com o humorístico "Band Coruja", conquistando inclusive o prêmio APCA em 2013. O acerto já tinha ocorrido há algumas semanas, por isso, a direção da emissora acabou dispensando o comunicador Baboo, que depois de 3 anos na rádio Tropical FM deixou a emissora. Diguinho  também é conhecido por compor o elenco do programa “The Noite com Danilo Gentili” do SBT. 
Foto: Divulgação

Ministério das Comunicações divulga lista com nome das emissoras que já pediram a migração para a FM

No começo de abril, o Ministério das Comunicações, afirmou que  80% das rádios AM de todas as regiões do país solicitaram ao Ministério das Comunicações autorização para migrar para a faixa de FM. Hoje, o MiniCom que recebeu um total de 1.386 pedidos de migração, em um universo que engloba 1.781 emissoras em todo o Brasil, divulgou a lista com o nome das emissoras que já solicitaram o pedido (veja aqui) .  
Hoje, as FMs são sintonizadas na faixa de 87.9 MHz a 107.9 MHz. Com a liberação dos canais, essa frequência será estendida de 76 MHz a 107.9 MHz. Prazo As entidades que não participaram das sessões públicas ainda podem enviar os requerimentos para o MiniCom até o dia 10 de novembro. Mas, nesse caso, o pedido só vai ser analisado depois que a Anatel concluir os estudos de viabilidade técnica naquele Estado. Modernização 
A migração das rádios AM para a faixa de FM foi autorizada no fim do ano passado pelo decreto 8.139. O objetivo da medida, que atende a uma antiga demanda de radiodifusores, é permitir a continuidade da operação dessas emissoras na nova faixa, já que o sinal das estações AM vem caindo em qualidade devido ao crescimento das cidades, além de não ser acessível em dispositivos como celulares e tablets ou mesmo em aparelhos de recepção mais modernos.