segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Rádio Estadão é colocada de lado pelo Grupo Estado

Jornalistas da Rádio do Grupo Estádio
torcem para que nova reformulação dê certo
Que a crise ronda há muito tempo os veículos de comunicação, isso não é segredo pra ninguém, mas tratar com descaso e indiferença uma grande e importante emissora de jornalismo aí é outra coisa. Infelizmente parece que é o que aos poucos vai acontecendo com a Rádio Estadão. Uma rádio que perdeu a sua identidade ao longo dos anos. A equipe é de qualidade, mas a falta de gerência está prejudicando o bom andamento da emissora jornalística que durante décadas  (49 anos) foi chamada de "Eldorado" revelando importante nomes do jornalismo do Brasil. A partir de sua saída do bairro da Aclimação, a situação piorou. A audiência sempre foi baixa, porém qualificada, mas nos últimos anos os índices declinaram de vez, como comprovam as últimas medições oficiais do IBOPE, dando em média 0,01 (1.500 ouvintes) em am e 0,03 (4.500 ouvintes) em FM. A primeira tentativa de mudar a situação foi em 2007 onde aconteceu a parceira comercial com a ESPN parceria essa que não deu certo para o Grupo Estado que pagou e muito bem diga-se de passagem pelo conteúdo fornecido pela ESPN. Uma nova tentativa de ressuscitar a emissora aconteceu no primeiro dia de 2012, porém o investimento foi pífio e a emenda está saindo pior que o soneto. A situação hoje é crítica, funcionários reclamam da falta de condições de trabalho como por exemplo equipamentos sucateados. Há falta de funcionários na redação, pois não houve reposição, após saída de pelo menos quatro deles, sendo um, cargo de chefia. A insatisfação com o acúmulo de funções e o salário defasado também é grande. Infelizmente a emissora que sempre teve um grande potencial vai ficando a deriva, enquanto isso, seus diretores elaboram mais um plano "mirabolante" de restruturação do jornalismo sem investir um centavo, muito pelo contrário, o que pode vir por aí são mais cortes de custos, a frequência em am (como já adiantado nessa coluna) deve ser passada para a frente, provavelmente para um grupo religioso. Em contato com a direção da emissora a respeito dessas mudanças que devem ocorrer em breve e também sobre as condições ruins de trabalho recebemos o seguinte comunicado: 
"Todos  ajustes em uma emissora são diários e as decisões internas, quando chegarem a algum denominador, serão anunciados".
Foto: Divulgação