Grandes Encontros Olímpicos de junho traz música e basquete

Duas grandes mulheres, ídolos em suas áreas e com o basquete em comum entre elas. O próximo Grandes Encontros Olímpicos, promovido pela Rádio Eldorado Brasil 3000 e pelo Estadão, reunirá para uma conversa descontraída dois nomes de peso em suas respectivas áreas: a cantora Simone e a ex-jogadora de basquete Magic Paula. 
O encontro, no dia 5 de junho, a partir das 20h, será no Museu do Futebol (Praça Charles Miller – Pacaembu). O encontro será transmitido ao vivo pela emissora (FM 107,3) e pelo Território Eldorado (www.territorioeldorado.com.br), onde estão as informações sobre inscrições. 
As duas convidadas têm muito em comum, pois, antes de seguir a carreira artística, Simone foi jogadora de basquete, chegando inclusive, a ser convocada para a seleção brasileira que disputou o Mundial de 1970. Paula, depois que parou de jogar, seguiu carreira como empresária, mas, enquanto atuava nas quadras, ficou conhecida por sua habilidade, recebendo o apelido de “Magic”. Com roupagem nova, a emissora traz de volta o conceituado Grandes Encontros. Em uma açãocross media e multiplataforma com o Estadão, o evento faz parte do Projeto Olímpico, envolvendo todos os veículos do grupo. A proposta inédita é unir atletas olímpicos e artistas, para uma conversa sobre esporte e música. Nas edições anteriores, o evento reuniu a cantora Zélia Duncan e o maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima, em março; e o cantor e compositor Toquinho e o ex-goleiro Gilmar Rinaldi, em abril. 
A baiana Simone começou a cantar ainda quando jogava basquete. Gravou seu primeiro disco em 1972, mas que foi lançado somente em 1973. No fim da década de 1970, mais precisamente em 1977, teve seu primeiro grande momento de sucesso com as canções Começar de novo, Face a face, Jura Secreta e O que será. Na década de 1980 firmou como uma das grandes cantoras na MPB e recordista de público e de vendagem. 
Um dos maiores ídolos do esporte nacional, Magic Paula é considerada uma das melhores jogadoras de basquete de todos os tempos. Pela seleção brasileira, entre tantos títulos, ganhou a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Cuba, em 1991, o título de Campeão Mundial, em 1994, e a medalha de prata nas Olimpíadas de Atlanta, em 1996. Em novembro de 2005, Magic Paula foi oficialmente confirmada para integrar o Hall da Fama do Basquete Feminino. É a segunda maior pontuadora da história da seleção brasileira adulta, tendo marcado 2.537 pontos em 150 partidas oficiais (foi a que mais jogou), média de 16,9 pontos por partida. Hoje se dedica a palestras para executivos e ao Instituto Passe de Mágica, ONG sem fins lucrativos criada por ela e pela sua irmã, Branca, também ex-jogadora de basquete, que tem como foco a educação pelo esporte e iniciação esportiva de crianças entre 7 e 15 anos de idade.

Postagens mais visitadas