Rádio Estadão ESPN comemora um ano no ar

No dia 27 de março de 2011 entrou no ar a Rádio Estadão ESPN. Fruto da parceria com a ESPN, a emissora trouxe ao dial paulistano uma nova proposta jornalística: juntar all news e esportes. O conteúdo é de responsabilidade do Grupo Estado com a ESPN fornecendo conteúdos esportivos. A parceria entre as empresas se revelou altamente positiva. Segundo o Ibope, a audiência teve crescimento de 34% na AM e 49% na FM (dados de janeiro de 2012 comparados a dezembro 2011). Os números estão bem acima do meio, que teve, no período, queda de 4% no AM e alta de 3,2% no FM.
A emissora comemora esses bons resultados no dia 27 de março (terça-feira). Em almoço no Bar des Arts (Rua Pedro Humberto, 9 – Itaim), às 12h, as diretorias do Grupo Estado e da ESPN recebem autoridades, empresários, representantes de entidades, anunciantes, personalidades diversas, imprensa, agências e os colunistas da emissora. O governador Geraldo Alckmin e o prefeito Gilberto Kassab foram convidados e devem estar presentes.
Um ano muito bom - Desde seu lançamento, a emissora conquistou importantes premiações: o Prêmio APCA, o Troféu Ford Aceesp e o Prêmio Veículos de Comunicação, da Revista Propaganda, como Lançamento do Ano. No período, a Estadão ESPN teve importantes conquistas, incluindo a exclusividade na cobertura de eventos esportivos para o meio rádio, entre eles a transmissão dos jogos da NBA, da Liga dos Campeões da UEFA e o Super Bowl.
A Rádio Estadão ESPN conta com um dos maiores times de jornalistas do País, São mais de 700 profissionais de todas as empresas do Grupo Estado e da ESPN, em um esquema participativo e inédito no dial brasileiro. Os profissionais entram no ar com informações de diversos assuntos, criando uma rádio moderna, interativa e totalmente multiplataforma. Essa característica permitiu que a Rádio Estadão ESPN apresentasse grandes furos de reportagens que tiveram repercussão em diversos meios.
Alguns destaques: na estreia, o prefeito Gilberto Kassab revela que o seu Partido Social Democrático (PSD) não era um partido nem de direita, nem de esquerda e nem de centro; o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) ataca as cotas raciais, os homossexuais e afirma não ter medo de perder o mandato pelas suas declarações; Sonia Racy, colunista do Grupo Estado, informa em primeira-mão que Muricy Ramalho assumiria o comando do Santos; o meio campista Daniel Carvalho, do Palmeiras, revela que tomou anabolizantes quando jogava na Rússia; em entrevista exclusiva, a premiada blogueira e ativista cubana, Yoani Sanches, afirma que estava decepcionada com a presidente Dilma Roussef, após visita à Cuba. Mais recentemente, na véspera de assumir como titular da Secretaria Especial da Pesca e Aquicultura, o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) admitiu à emissora seu completo desconhecimento da área com a frase: “Eu nem sei colocar uma minhoca no anzol”.
Aniversário na programação – Desde o dia 19 a emissora coloca no ar depoimentos de colunistas, repórteres, personalidades e ouvintes sobre o primeiro ano da rádio.
Hoje a emissora leva o projeto “Rádio Estadão ESPN nas Universidades” será feito no Auditório da Escola de Comunicação da USP, durante a Semana de Jornalismo Esportivo na intituição. A Rádio Estadão ESPN transmitirá ao vivo do local, a partir das 20h, o programa Gira Brasil.
Com apresentação de Eduardo Affonso, Sérgio Pinto de Almeida e Eduardo de Meneses, que estarão na USP, o programa especial discutirá as diferenças das coberturas jornalísticas nos clubes pelo Brasil.
Amanhã (27), dia do aniversário da emissora, das 8h às 9h, Luiz Fernando Furlan, presidente do Conselho de Administração da Brasil Foods e ex-ministro do Desenvolvimento, Comércio e Indústria do governo Lula, estará no estúdio da emissora e será o entrevistado especial no Jornal Estadão no Ar 1ª Edição.
Foto: Paulo Pinto/AE

Postagens mais visitadas