quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Audiência programas esportivos

Mais uma vez o BLOG divulga com exclusividade a audiência das jornadas esportivas as quartas-feiras e também a disputa nos programas esportivos semanais das emissoras am e fm.
Confiram os dados oficiais referentes ao trimestre agosto, setembro e outubro de 2011.
PROGRAMAS ESPORTIVOS AGOT11 A OUT/11
2ª A 6 ª FEIRA SEGUNDA A SEXTA
TODOS OS LOCAIS
SEXO AMBOS
EMISSORA
IA% IA#
105 FM 19H00 ÀS 20H00 1,02 171.980
ENERGIA 97 FM (*) 17H30 ÀS 20H00 0,45 75.938
BANDEIRANTES AM+FM 17H30 ÀS 21H30 0,33 54.989
TRANSAMERICA FM (*) 18H00 ÀS 20H00 0,32 53.621
GLOBO AM (*) 19H00 ÀS 20H00 0,19 31.828
CBN AM+FM 20H00 ÀS 21H00 0,15 24.726
CAPITAL AM (*) 20H00 ÀS 21H00 0,07 12.536
TUPI AM 18H00 ÀS 19H00 0,04 6.131




(*) Mudança de horário dos programas a partir de mês de junho/11.



4º FEIRA - 21H00 ÀS 24H00
105 FM 0,55 92.398
GLOBO AM 0,28 47.492
TRANSAMÉRICA 0,22 38.037
BANDEIRANTES AM 0,19 32.350
CAPITAL AM 0,15 25.584
CBN FM 0,13 22.044
BANDEIRANTES FM 0,10 16.773
TUPI AM 0,09 15.467
JOVEM PAN AM 0,06 10.569
CBN AM 0,02 2.904

TV lidera receita publicitária e rádio arrecada mais que Internet

A televisão é responsável pelo maior volume de receitas do mercado publicitário, aponta último levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Economia Estatística). Sozinha, a mídia movimenta 56,1% do investimento total das empresas de publicidade.
O rádio fica à frente da internet, ocupando o terceiro lugar do total das verbas (7%), e perde apenas para a mídia impressa (jornais e revistas), que fica com 20%.
Os dados fazem parte da Pesquisa de Serviços de Publicidade e Promoção, realizada em parceria com a Associação Brasileira de Agências Publicidade (ABAP), divulgada na última sexta-feira. As informações foram apuradas em 2009, em 1.642 empresas com dez ou mais funcionários.
O levantamento mostra ainda que a maior parte das receitas publicitárias vêm do setor privado (84%), que destinou, em 2009, R$ 4,178 bilhões para anúncios de marcas. Desse total, 56,% foram investidos por empresas nacionais e 27,4% por multinacionais.
“Esses números mostram a grande multiplicidade de anunciantes privados, o que garante a sustentabilidade econômica dos veículos e a sua independência”, afirma o presidente da Abert, Emanuel Soares Carneiro.
As campanhas de governos, incluindo empresas estatais, representaram 13,7% (R$ 680 milhões). As campanhas de publicidade legal e políticas somaram R$ 116 milhões ( 2,4%).
As empresas de publicidade e promoção faturaram cerca de R$ 9,5 bilhões, sendo que cerca de R$ 5 bilhões (52,6%) foram provenientes das agências de publicidade e 39% de agências de promoção de eventos,
Os serviços prestados pelas agências de publicidade foram direcionados de forma majoritária para a indústria, que respondeu por 32,7% da receita (R$ 1,480 bilhão), seguida do comércio varejista, com 16,1% (R$ 727 milhões), e de governos (exceto empresas estatais), com 13,0% (R$ 590 milhões).
Os serviços financeiros (R$ 442 milhões) e de telecomunicações (R$ 399 milhões) responderam por 9,8% e 8,8%, respectivamente.
Assessoria de Comunicação da Abert