Despejo parte ll

Colocamos aqui a informação do desrespeito da administração do estádio do Morumbi e também do seu departamento de marketing com alguns profissionais de imprensa escrita e falada em relação a mudança de posicionamento de transmissão no estádio do Morumbi.
Recebi um telefonema de uma pessoa influente que garantiu que a mudança do setor térreo para o “cantão” atrás do gol não será provisória e sim definitiva.
O motivo é simples: o setor onde os jornalistas e radialistas trabalhavam foi vendido para a construção de camarotes e a “brilhante” idéia só não se expandiu por medo de represárias das grandes emissoras de São Paulo, como Jovem Pan, Bandeirantes, Globo, CBN e Transamérica que transmitem os jogos de cabines melhores no setor superior do estádio.
Nesse caso as rádios mais tradicionais transmitem de lá há mais de 30 anos, mas mesmo assim se cogitou o despejo dessas emissoras/profissionais de lá, objetivo era de colocar todo mundo no “cantão” sem visão completa do jogo.
Alertado pelos problemas que isso acarretaria (massacre nas emissoras de rádio ao São Paulo Futebol Clube e seus gênios) imediatamente o responsável pelas vendas de camarotes desistiu.
Cabe agora aos veículos de comunicação envolvidos concordarem com a mudança de cunho preconceituoso ou optarem pelo protesto pacífico e democrático.
Esse "despejo' por mais que o clube coloque monitores sofisticados e cadeiras confortáveis não deixa de ser um tremendo desrespeito com os profissionais e conseqüentemente leitores e ouvintes.
Lembro aqui que a parte diretiva do departamento de futebol do São Paulo não tem nada haver com esse assunto, que cabe exclusivamente ao departamento de marketing do São Paulo, que tem no comando o Sr. Adalberto Baptista e também ao setor administrativo do Morumbi, que está sob comando do Sr. José Gonçalves.

Postagens mais visitadas