Comemorar prejuízo!

Band "festeja" prejuízo com a Indy-2010

Principal artífice da realização de uma etapa da Fórmula Indy no Brasil em 2010, o grupo Bandeirantes teve prejuízo com a iniciativa. Mesmo assim, saiu feliz do circuito de rua montado em São Paulo - o traçado incluiu o sambódromo, a Marginal Tietê, a avenida Olavo Fontoura e o pavilhão de exposições do Anhembi. Afinal, o déficit foi menor do que o esperado para a primeira edição da prova. A projeção do grupo Bandeirantes era ter um prejuízo entre R$ 12 e R$ 15 milhões com a realização da Indy em 2010.
Entretanto, a conta deve gerar um número negativo em torno de R$ 5 milhões - essa projeção ainda depende da consolidação do orçamento da prova. "A prova ainda não chegou ao total de custo que ela representa, mas o desempenho foi melhor do que o planejado.
Existe um benefício nessa relação com o público, até porque a prova é uma satisfação que nós damos.
É um jeito de devolvermos um pouco para as pessoas que nos acompanham.
É claro que somos uma empresa voltada ao lucro, e acreditamos que teremos isso depois de dois ou três anos, mas esperávamos uma situação pior agora", admitiu o vice-presidente do grupo Bandeirantes, Marcelo Meira.
No total, a etapa paulistana da Fórmula Indy teve um custo entre R$ 50 milhões.
Desse montante, a Bandeirantes custeou R$ 30 milhões e a prefeitura injetou outros R$ 20 milhões (R$ 12 milhões em patrocínio e R$ 8 milhões em estrutura).
Durante a semana, a prefeitura de São Paulo revelou expectativa para diminuir os custos nos próximos anos.
Como grande parte da estrutura usada em 2010 vai ser reutilizada, as autoridades locais estimam uma redução mínima de R$ 2 milhões nas obras de estrutura. "Essa é uma projeção que eu considero até conservadora. Acredito que eles vão reduzir até mais o custo e que a situação será mais tranquila nesse sentido para os próximos anos", projetou Meira.
O grupo Bandeirantes fechou contrato com a Indy para realizar a prova até 2014.
Fonte: Máquina do Esporte
Foto: O Globo

Postagens mais visitadas